Segunda, 23 Abril 2018

População ignora proximidade com área de preservação e descarta lixo em local inapropriado no Tropical

Publicado em Bairro a Bairro Segunda, 18 Dezembro 2017 08:56
Avalie este item
(0 votos)

 

 

Apesar do reconhecimento nacional e internacional em relação à destinação dos resíduos sólidos, Itaúna ainda enfrenta problemas de descarte de lixo em locais inapropriados. A falta de consciência de uma parcela da população gera prejuízos ao Meio Ambiente e coloca em risco a saúde pública, já que os dejetos atraem animais peçonhentos e podem contribuir para o acúmulo de água, servindo como criadouro de insetos, como o Aedes aegypti, transmissor da dengue, febre chikungunya e zika vírus.  

Na edição passada, o JORNAL S’PASSO mostrou a situação de um loteamento no bairro Pio XII, utilizado como verdadeiro "lixão a céu aberto", há pelo menos quatro anos. Só neste segundo semestre, a reportagem se deparou com o mesmo problema nas Vila Vilaça e Vila Tavares, onde os materiais são descartados às margens e dentro do Ribeirão Joanica; no Aeroporto; Piaguassu; Santanense e Vila Nazaré. 

Nesta semana, a irregularidade foi detectada no bairro Tropical.   Em cinco terrenos havia muito lixo e entulho. Apesar de a legislação municipal estabelecer multa para os donos de propriedades nessas condições, é complicado aplicar a punição, uma vez que os resíduos quase sempre são descartados por terceiros. No caso da comunidade visitada esta semana, os dejetos acabam indo parar também no ribeirão, que já está tomado por garrafas e sacolas. 

A reportagem conversou com comerciantes e moradores, que disseram que a coleta de lixo tem sido feita normalmente pela região, não deixando margem para justificar a ação. O descarte inadequado de lixo no Tropical é ainda mais preocupante pelo fato de haver quadras de Área de Preservação Permanente – APP – no bairro. 

 

 

 

Deixe um comentário

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd