Quarta, 18 Julho 2018

Saae vai apurar responsabilidades sobre despejo irregular de esgoto no Joanica

Publicado em Bairro a Bairro Segunda, 12 Março 2018 11:37
Avalie este item
(0 votos)

Há anos, a situação do ribeirão Joanica é um dos principais problemas apontados pelos moradores dos bairros Vila Tavares, Vila Vilaça, Irmãos Auler e Várzea da Olaria. A cobrança por atenção para o curso d’água, tanto por parte do poder público, quanto da própria população, sempre é pauta do S’PASSO BAIRRO A BAIRRO nessas localidades.  

Já em uma das primeiras edições deste ano, a reportagem denunciou o mau cheiro e a poluição, na altura do Irmãos Auler. Até uma pia de cozinha havia dentro do córrego. A falta de limpeza no entorno também é uma reclamação constante de quem vive nas imediações. Em algumas ocasiões, pessoas atearam fogo no mato às margens, colocando em perigo a vizinhança e os animais que dependem do ribeirão Joanica, além de comprometer a mata ciliar. 

O vereador Giordane Alberto chegou a levar para o plenário da Câmara uma garrafa com amostra da água coletada no córrego. O líquido apresentava tonalidade escura e forte odor. Ele ameaçou acionar o Ministério Público, caso nenhuma providência fosse tomada para reverter a situação degradante. 

O JORNAL S’PASSO procurou o parlamentar esta semana para saber se houve alguma movimentação do Município para sanar a questão. Giordane disse à reportagem que existe a suspeita que alguém esteja despejando esgoto no “Joanica”, de forma clandestina, utilizando o sistema de drenagem da água da chuva, e que o Serviço Autônomo de Água e Esgoto – Saae – está trabalhando para localizar essa possível ligação ilegal. 

“Em relação ao descarte de dejetos no ribeirão, ainda não foi identificado, mas acreditamos que seja realidade. O Saae iniciou um levantamento, um apanhado de tudo. Neste período chuvoso é mais difícil localizar possíveis locais de despejo, porque aumentou muito o volume de água no ribeirão. A hipótese é de que caia esgoto na captação pluvial, isso vindo dos bairros, uma ligação clandestina que alguém fez. Mas, a gente só vai conseguir confirmar na época de seca”, explicou o parlamentar. “É preciso esperar que o tempo fique firme para identificar os pontos”, completou. 

 

Conscientização 

irresponsabilidade

 

Enquanto alguns moradores insistem em despejar lixo no entorno e até dentro do ribeirão, como mais uma vez a reportagem flagrou, outros tentam fazer sua parte para preservar o local, cultivando plantas e árvores às margens do “Joanica”. Nesta semana, também chamou a atenção a iniciativa de uma empresa que colocou placas, próximo à ponte de acesso ao bairro Antunes, com frases de incentivo aos cuidados com a natureza, como “Com consciência ambiental criamos mais qualidade de vida para todos”. Ao lado, ainda foram plantadas algumas mudas, que já começam a dividir o espaço com sacolas plásticas.

 

“Cata-Móveis”

 

Duas vezes por semana, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto – Saae - disponibiliza o recolhimento de mobiliário e equipamentos inservíveis em toda a cidade, mediante agendamento pelo telefone 3243 - 6691, de segunda a sexta-feira, das 07h às 16 horas. O “Cata-Móveis” dá a destinação adequada para o que não tem mais serventia, como sofás velhos, armários, televisores e colchões, por exemplo.

Nesta semana, mais uma vez, a reportagem se deparou com itens como esses, que, descartados de forma incorreta, podem acabar dentro do ribeirão Joanica. Além disso, servem de criadouros para animais peçonhentos e para o Aedes aegypti, transmissor da Dengue, Zika vírus e Chikungunya e Febre amarela, na área urbana. 

 

Deixe um comentário

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd