Quarta, 19 Setembro 2018

Militantes vão ao Legislativo criticar parecer de Joel Arruda contra criação do Conselho LGBT

Publicado em Cidade Segunda, 21 Maio 2018 16:10
Avalie este item
(0 votos)

O parecer terminativo da Comissão de Finanças e Orçamentos da Câmara Municipal, que “sepultou” a criação do Conselho Municipal de Políticas Públicas voltadas à comunidade formada por Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros – LGBT - foi duramente criticado por militantes ligados às causas contra a homofobia. O advogado Júnior Capanema utilizou a Tribuna Livre, na reunião ordinária de terça-feira, 15, para falar sobre a decisão despachada pelo vereador Joel Arruda. O profissional do Direito lembrou a luta contra o preconceito na cidade e afirmou que a instituição do órgão seria de extrema importância para fomentar o debate.

 

 

“Questionamos o parecer terminativo e suas justificativas. Uma delas é que o Conselho iria receber verbas. Ora, todos os conselhos ou quase todos os da cidade recebem verbas e fica nossa indagação por qual motivo o Conselho LGBT não poderia ter repasses? Não são os homossexuais que arrombam os cofres do Município. O nosso segmento não tem objetivo de viver à custa do poder público. Essa verba serviria para custear ações contra a homofobia. A nossa bandeira é combater todas as formas de opressão. Caso o substitutivo venha para esta Casa, peço que os 17 parlamentares nos chamem para discutir. Pedimos o apoio para que a matéria seja debatida e aprovada. Não é fácil ser homossexual em um país tão preconceituoso como o Brasil”, desabafou.

 

 

No expediente de participação popular, espaço destinado às manifestações da sociedade durante as sessões plenárias, a líder comunitária Daniela Maria conclamou os vereadores a adotarem políticas mais consistentes e disse que existe um pré-julgamento em relação à questão. “A criação do Conselho visa trazer à cidade a discussão sobre o movimento LGBT, que tem a proposta de esclarecer e não tumultuar”, argumentou.

 

 

O vereador Joel Arruda “do Grupo de Oração”, relator da Comissão de Finanças, não participou da reunião desta semana. Ele justificou a ausência com problemas de saúde. E, pediu ao colega Antônio de Miranda, o Toinzinho, que apresentasse algumas alegações. De acordo com o parlamentar, houve erros na elaboração do projeto e que outro texto será enviado à Câmara, para solucionar o caso. “O próprio Joel assumiu o compromisso de, junto com o Executivo, elaborar a matéria. Ele não tem nenhuma restrição quanto ao tema. Não é contra a criação do conselho e o parecer foi formal, em virtude de falhas”, ponderou. O líder do governo na Casa, Hudson Bernardes, explicou que faltou a previsão de um fundo orçamentário para apropriar as despesas. “O substitutivo deve vir em no máximo duas semanas e a partir daí, daremos celeridade ao processo”, garantiu.

Deixe um comentário

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd