Segunda, 25 Junho 2018

Greve de caminhoneiros gera desabastecimento e prejudica serviços de emergência em Itaúna Destaque

Publicado em Cidade Segunda, 28 Maio 2018 13:55
Avalie este item
(0 votos)

Sem estoque, Samu negocia as alternativas para manter ambulâncias; Prefeitura contribui com mil litros de combustível

 

Caminhoneiros iniciaram na segunda-feira, 21, uma paralisação em todo o país, em rodovias federais e estaduais, com adesão de pelo menos 24 estados. A categoria quer a redução do valor do óleo diesel, que tem tido altas consecutivas nas refinarias. Um dos principais problemas causados pelos bloqueios nas estradas é o desabastecimento de produtos em diversos setores, inclusive nos postos de combustíveis, já que os caminhões são hoje o principal meio de transporte de cargas do Brasil. Em meio ao caos instaurado, a Petrobras anunciou uma medida paliativa, enquanto busca o consenso com os manifestantes.

 

 

Ao invés de concretizar o reajuste do diesel em 0,97% na terça-feira, 22, como havia divulgado, a estatal diminuiu em 10%, o equivalente a R$ 0,2335 por litro, na quinta-feira, 24. Porém, isso será mantido apenas pelo período de 15 dias, como forma de trégua com os caminhoneiros, até que ambas as partes cheguem a uma decisão. Após este prazo, a companhia afirmou em nota divulgada na página oficial, que retomará gradualmente a política de preços aprovada e divulgada em 30 de junho do ano passado.

 

 

Após uma reunião de mais de seis horas com representantes de entidades de caminhoneiros, os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria de Governo), Eduardo Guardia (Fazenda) e Valter Casimiro (Transportes) anunciaram ainda na noite de quinta-feira, 24, a proposta do governo federal de um acordo para a suspensão da greve. Os representantes de entidades representativas da classe, que ficaram até o final da conversa, com exceção de um, se comprometeram a apresentar os termos propostos aos grevistas. O presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos - CNTA, Diumar Bueno, disse acreditar no encerramento do movimento a partir desta sexta-feira, 25. No entanto, até o fechamento da edição do JORNAL S´PASSO, na noite de ontem, a paralisação persistia.

 

 

Apoio da população Alguns empresários de Itaúna chegaram a destinar dinheiro para a compra de mantimentos para os manifestantes na MG-050 e na BR-262. Os alimentos foram preparados por voluntários em Juatuba e Mateus Leme. Nas duas cidades, houve mobilização até da comunidade católica, com o pedido de doações de alimentos, água, cobertores e agasalhos da Paróquia de Santo Antônio aos fiéis, para os caminhoneiros. Vídeos mostrando a iniciativa da comunidade e o apoio ao movimento viralizaram nas redes sociais.

 

Samu em estado de alerta

 

 

Nesta sexta-feira, 25, o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste – CIS-URG – informou que em consequência da greve dos caminhoneiros, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu – se encontra em estado de alerta. De acordo com a diretoria, as ambulâncias possuíam combustível para rodar apenas até ontem.

 

 

Por meio do secretário-executivo, José Márcio Zanardi, a instituição disse ainda que busca alternativas para o abastecimento dos veículos, junto aos municípios e governo do Estado. A proposta é de que emprestem o produto, se houver disponibilidade, uma vez que já não existem mais estoques nos postos credenciados pelo CIS- -URG e em outros nas localidades consorciadas. De acordo com o vice-prefeito e secretário municipal de Infraestrutura, Fernando Franco, Itaúna se comprometeu a contribuir com mil litros de diesel para evitar a desassistência.

 

Com a medida de contenção, as ocorrências de código verde passaram a ser atendidas pelo Corpo de Bombeiros, deixando o Samu disponível para as classificações em vermelho e amarelo. O Consórcio ressaltou que a população pode continuar ligando para o 192, em casos de urgência e emergência, para que os médicos reguladores orientem os solicitantes e, dependendo do caso, despachem os socorristas.

 

 

O Samu conta hoje com uma frota composta por 31 ambulâncias rodando na região e mais quatro reservas, usadas para substituição, se necessário. Os veículos consomem por mês cerca de 15 mil litros de combustível e rodam em média 100 mil quilômetros.

 

 

Impactos nos postos

 

O primeiro impacto da greve dos caminhoneiros na cidade foi nos postos de combustíveis. Com medo do desabastecimento, os motoristas lotaram os estabelecimentos, formando grandes filas. Para evitar abusos, a agência do Procon de Itaúna notificou todas as empresas do segmento na quinta-feira, 24, com uma Carta de Recomendações, após questionamentos sobre o aumento dos preços dos produtos comercializados, reflexo da manifestação.

 

O órgão alertou os comerciantes sobre a proibição da majoração dos itens sem justificativa, prevista no Código de Defesa do Consumidor, e também a respeito das penalidades. De acordo com o Procon, caso sejam constatadas irregularidades, o posto pode ser interditado e ter o estoque apreendido, além da aplicação de multa de até R$ 500 mil. A prática abusiva nas relações de consumo, em especial no caso do aumento injustificado dos preços, pode ainda ser considerada crime, punido com detenção de dois a dez anos, dependendo de cada situação.

 

Reflexos nos supermercados

 

Na quarta-feira, 23, supermercados de grande porte começaram a ficar sem alguns produtos. Faltaram principalmente alimentos perecíveis, como frutas e verduras. Nas bancas e prateleiras foram colocados informativos, explicando aos clientes que a falta dos itens era decorrente da paralisação dos caminhoneiros.

 

Menos ônibus nas ruas e rodovias

 

Também na quarta-feira, 23, a Autotrans, empresa responsável pelo transporte coletivo em Itaúna, emitiu comunicado, informando a redução dos serviços, para garantir que não haja paralisação completa, por falta de combustível. E, nesta sexta-feira, 25, a Viação Itaúna suspendeu os horários de quatro linhas para Belo Horizonte.

 

Suspensão de aulas

 

A Secretaria de Estado de Educação suspendeu as aulas nesta sexta-feira, 25. As vans que levam estudantes para Divinópolis, também interromperam o serviço por falta de combustível. A Universidade do Estado de Minas Gerais – Uemg – emitiu comunicado, informando o cancelamento das atividades de ontem e hoje, 26, mantendo em funcionamento apenas os setores administrativos, mas em sistema de revezamento de funcionários.

 

Atrasos nas entregas dos Correios

 

Com os caminhões dos Correios retidos nas rodovias, a empresa está conseguindo entregar apenas encomendas domésticas. Produtos e boletos, como de cartões de crédito, por exemplo, que costumam vir do Rio de Janeiro ou São Paulo, vão chegar atrasados para os clientes.

 

Adiamento de eventos

 

Algumas festas que estavam agendadas para este fim de semana acabaram adiadas pelos organizadores. Caso da “Joe Rock Brasil”, promovida pelo Iate e que seria neste sábado, 26. Em comunicado publicado nas redes sociais, o clube informou que achou melhor optar por remarcar o evento para outra data, visando a segurança e bem-estar do público.

Deixe um comentário

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd