Segunda, 25 Junho 2018

Atraso de repasses pelo Estado ameaça serviços prestados pela Apae em Itaúna

Publicado em Cidade Segunda, 28 Maio 2018 15:09
Avalie este item
(0 votos)

Os problemas causados pelos atrasos do governo de Minas Gerais em repassar recursos para a manutenção de serviços prestados à população têm se multiplicado. Desde 2017, os municípios mineiros vivenciam uma crise, agravada a partir de setembro, devido ao descumprimento dos compromissos do Estado com os mais diversos setores. Nesta semana, foi tornada pública uma situação que atinge agora os usuários da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – Apae -, mantenedora do Instituto Santa Mônica. A instituição abriga na cidade 17 portadores de deficiências, em duas unidades do programa denominado “Casa Lar”. E, não tem dinheiro para garantia dos cuidados básicos com alimentação e saúde dos internos.

 

A presidente da Apae em Itaúna, Geórgia Chaves Mendonça, declarou que a entidade não tem recursos para o pagamento de fornecedores. Os salários dos funcionários também estão atrasados. De acordo com a colaboradora e mãe social Rosângela Maria de Santana, já foram feitos cortes drásticos nos gastos com as refeições e há dificuldades também para a compra de alguns medicamentos que não são fornecidos por meio do Sistema Único de Saúde – SUS.

 

A parcela atrasada, de abril, é de R$ 96 mil. Em nota, o Executivo estadual afirmou que a regularização dos repasses está entre as prioridades e que pretende regularizar os depósitos o mais breve possível. Mas, não informou um prazo para a quitação. Em Minas Gerais há 46 unidades da Casa Lar, com 342 pessoas abrigadas. Até o fechamento desta edição, nenhuma delas havia recebido os valores referentes ao mês passado.

Deixe um comentário

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd