Domingo, 19 Agosto 2018

O trabalho executado pela Polícia Militar de Itaúna com o objetivo de coibir a comercialização de entorpecentes tem surtido resultados significativos. Mais uma vez, a corporação conseguiu êxito, com operação realizada no Morada Nova.

No primeiro bairro, a equipe fazia patrulhamento na terça-feira, 07, pela rua João Rodrigues de Oliveira, trecho muito conhecido pelo constante movimento de traficantes e usuários de drogas, e viu quando dois homens entravam em uma casa. Um deles, assustado com a aproximação da viatura, correu para a rua, o que levantou suspeitas.

 Em vistoria na casa, a PM abordou o outro indivíduo e localizou um frasco com duas pedras grandes de crack, que, conforme os cálculos da guarnição, renderiam cerca de 25 porções. Também foram apreendidos uma faca com resquícios do produto, sacos plásticos, uma balança de precisão e R$ 317, além de um celular. O elemento, que ainda portava um papelote de cocaína, recebeu voz de prisão.

 Um indivíduo foi detido na quinta-feira, 09, quando tentava sair da loja de uma grande rede de supermercados com um par de chinelos escondido debaixo da blusa. Conforme as informações da Polícia Militar, os fiscais do estabelecimento perceberam a manobra e abordaram o homem, que correu em direção à avenida São João, sendo perseguido e contido até a chegada da guarnição.

Um rapaz de 20 anos foi alvo da ação de bandidos na noite desta quinta-feira, 09. Ele contou à Polícia Militar que estava em ponto de ônibus, na avenida Jove Soares, por volta das 22 horas, quando dois homens se aproximaram em uma motocicleta, de cor preta. Um dos indivíduos desceu do veículo e, mediante ameaças, roubou o telefone celular.

 Pela manhã, por volta das 07h30, a PM já havia sido acionada na região central da cidade, devido a uma ocorrência semelhante. Dois jovens caminhavam pela rua Gonçalves da Guia e foram abordados por quatro elementos armados, que depois de agredi-los, fugiram com um aparelho Samsung J5. Até o fechamento desta edição, não havia pistas dos criminosos.

Eram aproximadamente 05h20 da manhã de terça-feira, 07, quando um homem transitava pelo bairro Santanense e foi abordado por alguns indivíduos, que exigiram dele dinheiro e pertences pessoais. Os assaltantes, que estavam em um Fiat Uno, fugiram com a carteira da vítima, onde estavam todos os documentos, cartões de banco e R$ 50. Os bandidos roubaram também um telefone celular e fugiram sentindo rodovia MG-050. A Polícia Militar fez rastreamento, mas não conseguiu localizá-los.

Vila Tavares

 Também nesta semana, na rua Amadeu Amaral, na Vila Tavares, uma equipe da Polícia Militar abordou dois elementos. Com eles, foram encontrados R$ 135 em dinheiro e duas buchas de maconha. A guarnição deu prosseguimento às buscas, na casa de um dos suspeitos e achou um tablete da mesma substância.

Na madrugada de quinta-feira, 09, um veículo caiu no trecho do rio São João que corta a rua Santana. O motorista contou à Polícia Militar que transitava no sentido bairro Universitário e quando estava próximo à ponte, cochilou. O condutor não ficou ferido e, diante disso, recusou atendimento médico. De acordo com o boletim de ocorrência registrado no local do acidente, os documentos do rapaz e do veículo estavam em dia. Ele mesmo providenciou a retirada do automóvel.

Amisa realiza reunião com representantes de órgãos públicos para discutir ações preventivas

 

As principais questões referentes à segurança das barragens e os procedimentos necessários para a evacuação de comunidades, em casos de acidentes, foram os assuntos tratados pela Associação das Mineradoras da Serra Azul - Amisa – durante reunião com integrantes de órgãos federais, estaduais e municipais. O diretor técnico Jorge Alexandre Alves, da Fire & Rescue, consultoria contratada pela entidade, representada pela Arcelor Mittal, Minerita e Mineração Usiminas, conduziu a apresentação. Ele destacou o planejamento e o engajamento do poder público e da sociedade nas ações propostas pelas empresas como fatores essenciais para o alcance dos resultados projetados.

 O chefe de fiscalização do Departamento de Produção Mineral – DNPM -, Wagner Araújo Nascimento, esteve presente e salientou a importância da união de esforços em prol da população. “No que diz respeito à prevenção, estamos passando por um momento em que o trabalho desenvolvido hoje será referência no futuro”, comentou. O argumento foi endossado pelo presidente da Amisa, André Chaves de Andrade, que abordou a necessidade do diálogo e transparência. “Estamos percorrendo todos os pontos de prevenção necessários e acreditamos na união e proximidade dos atores como elementos fundamentais para nossa atuação”, afirmou.

Além do DNPM, Semad e empregados das empresas envolvidas, também participaram da reunião os representantes da Polícia Civil, Autopista Fernão Dias, Companhia de Saneamento de Minas Gerais - Copasa -, Corpo de Bombeiros, Secretaria de Saúde de Mateus Leme e Guarda Municipal, Defesa Civil e Secretarias de Infraestrutura, Saúde e Meio Ambiente de Itatiaiuçu.

Lucas Medeiros Rodrigues Vale e Gabriel Gomes, dois rapazes de 22 anos, sentaram-se no banco dos réus, nesta sexta-feira, 10, para enfrentar o Júri Popular. Eles foram acusados por uma série de assassinatos que chocou a cidade e deixou cinco mortos, na noite de 29 de dezembro de 2015: a “Chacina do Irmãos Auler”. As vítimas tinham entre 15 e 19 anos. Três faleceram no local, uma casa apontada como ponto de encontro de usuários e traficantes de drogas (foto). Duas chegaram a ser socorridas, mas não resistiram aos ferimentos causados por tiros. Também atingido, um adolescente ficou em estado grave, mas sobreviveu e precisou permanecer sob escolta.

O inquérito da Polícia Civil apontou que os crimes foram motivados por um acerto de contas, devido ao comércio de entorpecentes e outras contravenções. Um dos executores, Lucas Medeiros, foi preso um dia depois. As investigações levaram rapidamente a outro suspeito, Adimilson Júnior. O terceiro, Gabriel Gomes, ficou foragido por longo período.

 De acordo com o delegado Diego Lopes, após a conclusão das apurações e com a captura de Lucas, foi localizado no celular dele uma conversa com o Adimilson, que provou a participação no planejamento da trama que culminou nos homicídios e até no empréstimo da arma. A dupla confirmou o envolvimento de Gabriel.

Ainda segundo a Polícia Civil, uma das vítimas da chacina estava junto com Gabriel Gomes e Lucas Medeiros quando confessou que havia matado um traficante de Itaúna. No entanto, não sabia que os executores eram amigos do indivíduo citado na conversa. Os jovens estavam nas dependências do imóvel, quando um deles foi chamado pelo nome, no portão. Ao abrir, foi surpreendido pelos autores armados que entraram atirando.

Conforme informações obtidas pela reportagem, os réus foram condenados já no início da noite de ontem. No entanto, até o fechamento desta edição, as sentenças não haviam sido lidas.

Na última semana, a reportagem do JORNAL S’PASSO esteve na Delegacia de Polícia Civil de Itaúna para averiguar detalhes sobre a validação da versão digital da Carteira Nacional de Habilitação - CNH-e. Na portaria, funcionários disseram que a certificação não estava sendo feita na cidade, por falta de acesso ao sistema. Responsáveis pela Assessoria de Comunicação do Departamento de Trânsito de Minas Gerais – Detran/MG – demonstraram surpresa com a informação e afirmaram que a CNH-e está disponível para os condutores do município, assim como em todo o estado.

De acordo com o Detran, para solicitar a CNH Digital, o motorista deve possuir o novo modelo impresso com QR Code, emitido a partir de maio de 2017, deve se cadastrar no site do Departamento Nacional de Trânsito – Denatran - e ir até a delegacia para completar as informações. Após concluir esse passo, o interessado deverá fazer o login no portal do Denatran e clicar em “Ativar Cadastro”. Será enviado por endereço eletrônico um código, com validade de 48 horas, que o usuário necessitará na primeira vez que acessar a plataforma eletrônica.

A CNH-e armazena todas as informações do documento impresso e possui a mesma validade. A versão digital é gratuita, opcional e funciona por meio de aplicativo no smartphone, acessível offline, sem a necessidade de conexão Wi-Fi ou dados móveis habilitados.

O condutor que aderir ao sistema deverá atentar para o funcionamento do dispositivo, já que, para efeitos de fiscalização, se estiver descarregado, será considerado que ele não porta a CNH-e, que  poderá estar conectada somente a um equipamento. Em caso de perda ou furto/ roubo do celular, a recomendação é para que o motorista faça o bloqueio no portal de serviços do Denatran. Assim, é possível habilitar o novo aparelho para transferência.

 Quem tem uma carteira sem QR Code pode solicitar a segunda via do documento físico ou a renovação dele, se o mesmo estiver próximo ao vencimento. Para ter acesso a CNH-e, o motorista deverá fazer primeiro um cadastro no site do Departamento Nacional de Trânsito – Denatran - e depois procurar a unidade do Detran da cidade.

 Em Minas Gerais, até julho, pouco mais de 12 mil condutores, dos seis milhões registrados no estado, haviam aderido à CNH Digital.

De acordo com informações apuradas pela reportagem junto ao Departamento Estadual de Trânsito de Minas Gerais – Detran/MG – existem hoje mais de mil veículos apreendidos nos pátios credenciados pelo órgão em Itaúna. Alguns deles, desde 2009, com o custo estimado para retirada em R$ 77.015,81. Com esse montante, seria possível, por exemplo, efetuar a compra de um carro 0 Km.

 

Além dos valores exorbitantes para a retomada dos bens pelos proprietários, também chama atenção o número de meios de transporte retidos em nome de bancos e outras instituições financeiras: são mais de 80. A dívida de uma dessas organizações chega a R$ 56.920,49. Outras três têm débitos de R$ 33.901,82, R$ 33.139,41 e R$ 32.159,16.

Os veículos acabam leiloados pela Justiça, se não são retomados pelos proprietários, após determinado período. A medida visa arrecadação de receita para cobrir as despesas e liberar espaço para novas apreensões, provenientes de descumprimento da lei e ainda daqueles que são localizados pelas autoridades policiais depois de roubos/furtos.

A estimativa de custos é liberada pelo Detran, a partir do acesso aos dados registrados em www.detran.mg.gov.br/veiculos/veiculos-removidos. Basta informar a localidade e a placa.

Proibição de cobrança superior a 30 diárias

Em 2016, a Defensoria Pública de Minas Gerais conseguiu uma liminar para coibir a cobrança irregular pelas diárias de veículos apreendidos. Pelo artigo 262 do Código Brasileiro de Trânsito, os valores poderiam ser faturados somente por 30 dias, mas a norma raramente era cumprida. Contudo, o recolhimento por longos períodos continuou, após recurso do governo do Estado.

 A medida foi restabelecida pela Justiça em 2017, impedindo novamente o excesso de taxas de permanência de bens em pátios de apreensão. A defensora pública Rachel Aparecida de Aguiar Passos, da Defensoria Especializada de Direitos Humanos, Coletivos e Socioambientais, explicou à época que ajuizou a Ação Civil Pública após constatar que um grande número de atendidos pelo órgão, que acabavam abrindo mão de recuperar os meios de transporte por causa dos valores cobrados.

 Medida viabiliza municipalização dos serviços no setor, com fiscalização das vias nas mãos do Executivo

Itaúna está integrada ao Sistema Nacional de Trânsito – SNT -, conforme portaria já publicada no Diário Oficial da União. Com isso, ficou garantida a municipalização dos serviços no setor, que, proposta pela atual administração, ainda no início de 2017, ganhou aval da Câmara em junho do ano passado e, há cerca de 20 dias foi aprovada pelo Conselho Estadual. A medida torna o Executivo apto a assumir a responsabilidade sobre o planejamento, operação e fiscalização das ruas e estradas da cidade. A habilitação em Brasília era a etapa que faltava para a Prefeitura gerir a circulação de veículos e transportes.

A justificativa do governo para o projeto é a melhoria das condições de tráfego e ampliação das campanhas educativas, com reforço nas ações de segurança. Itaúna passa a contar com o Sistema Municipal de Trânsito e Transportes e com a Junta Administrativa de Recursos de Infrações – Jari - além do conselho, diretoria e fundo, que vão administrar, em conjunto, os recursos destinados à área. A expectativa é ainda de aumento da receita, uma vez que, hoje, a arrecadação com multas geradas por atos infracionais e que deveria ser do Município, é encaminhado diretamente para os cofres do Estado. Outra perspectiva é de retomada, em breve, do Estacionamento Rotativo.

Instituição da Jari

 De acordo com a administração, a instituição da Junta Administrativa de Recursos de Infrações – Jari –, na cidade, garantirá aos condutores o direito de recorrer, com mais celeridade e eficiência, das autuações de autonomia municipal, visto que ao governo de Minas Gerais cabe verificar e aplicar as sanções referentes à habilitação e documentação de veículos, apenas. Atualmente, os motoristas podem se reportar somente aos órgãos estaduais para quaisquer tipos de contestações e muitas vezes ficam sem resposta sobre o requerimento.

Reforço das estratégias

Entre os pontos positivos destacados pela Prefeitura em relação à nova política prevista para o trânsito, está o controle estratégico das vias, com a implantação de estrutura que permita estudos e regulação do tráfego, viabilizando melhorias da sinalização e aumento da fluidez, tornando o trânsito mais seguro. Também é importante a integração de sistemas para o cruzamento de dados com as polícias Civil e Militar, além da ampliação das campanhas educativas, para conscientizar os motoristas e pedestres.

Sede própria

Foi inaugurada na semana passada a sede da Diretoria Municipal de Trânsito e Transporte - DMTT. A unidade está instalada em imóvel próprio da Prefeitura, entre as avenidas Jove Soares e São João. A edificação, onde ficaram concentrados os atendimentos, ganhou adaptações para receber dez servidores lotados no setor.

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd