Sábado, 24 Fevereiro 2018

 

No mês de novembro, foi a vez de as crianças da zona rural de Itaúna conhecerem um pouco do trabalho realizado no Centro de Educação Ambiental do Sindicato Intermunicipal das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Itaúna – Sindimei. Representando e defendendo os interesses dos associados, a entidade promove diversas ações voltadas à conscientização sobre a importância da sustentabilidade. A proposta é contribuir para o desenvolvimento do município e, ao mesmo tempo, ajudar a proteger e preservar o Meio Ambiente. Para apresentar esse projeto e incentivar a população a atuar de maneira semelhante, foi criado o Programa de Interação com a Comunidade – PIC.

Em mais uma série de atividades, no último dia 10, os alunos das escolas municipais João Nogueira Penido, Ismael de Souza Arruda e Dolores Nogueira, localizadas nos povoados de Campos, Carneiros e São José de Pedras, visitaram e aprenderam um pouco sobre o funcionamento do Depósito de Resíduos Industriais Tarcísio Cardoso de Sousa, situado na Fazenda Campo de Fora, em Três Barras. Estiveram presentes 31 estudantes e quatro professores.

Já na sexta-feira, 24, a entidade recebeu a meninada das instituições de ensino João Luís de Souza, Modestino Francisco Rabelo e José Antunes Ribeiro. Essa etapa contou com 43 participantes, da Barragem, Vista Alegre e Córrego do Soldado.

Nas duas edições, os estudantes conheceram um pouco da história do Sindimei, participaram de ações de conscientização ambiental e de oficina de artes plásticas, com nanquim e giz de cera, ministrada pelo professor, Levy Vargas, da Associação Usina dos Sonhos.

“Saímos de lá muito encantados com o projeto executado pelo Sindimei, com seu objetivo, com o espaço e toda a estrutura. 

O depósito que eles têm e o trabalho desenvolvido eram desconhecidos por nós, e acredito que muitas pessoas ainda não conheçam. Ficamos fascinados em saber que uma entidade empresarial da cidade tenha essa preocupação de preservar o Meio Ambiente”, comentou a professora Rosângela Alves Rodrigues, da Escola Municipal Antunes Ribeiro, do Córrego do Soldado. Ainda segundo a educadora, a visita ao Centro de Educação Ambiental do Sindimei animou os alunos e resultou em uma atividade sobre a visita. “O pessoal propôs um concurso de redação a respeito do que os meninos e meninas vivenciaram e eles estão bastante empolgados em produzir o texto”, completou Rosângela.

O gerente do Sindimei, Erivelton dos Santos, ressaltou que a iniciativa de interação com a comunidade é importante para mostrar que em Itaúna e região as indústrias de fundição realizam as atividades de forma sustentável, direcionando os resíduos - areia descartada  do processo de produção - para local adequado. “São atendidas todas as normas ambientais. Com as crianças e adolescentes, esse trabalho de educação ambiental é ainda mais relevante, uma vez que serão eles os responsáveis pelas ações no futuro”, comentou o gestor.

Para o presidente do Sindimei, Hyrguer Costa, o PIC é um belo projeto que a entidade tem realizado, agora com a participação e parceria da Secretaria de Educação e Cultura. "Continuaremos a trabalhar para que essa iniciativa perdure. Queremos continuar a gerar resultados tão significativos na vida desses estudantes", destacou Hyrguer.

Só no segundo semestre de 2017, participaram do programa 13 escolas da rede municipal de ensino, o Projeto Aquarela e os alunos do curso de Engenharia Ambiental da Faculdade Pitágoras, campus de Divinópolis.  

 

 

Quatro imóveis, entre os quais, dois apartamentos, duas casas e um terreno,  penhorados pela Caixa Econômica Federal, em Itaúna, serão vendidos pela instituição. O edital de licitação foi publicado na edição do Diário Oficial da União, de 23 de novembro, e ficará à disposição dos interessados na agência local, na internet (www.caixa.gov.br) e na Gerência de Filial Alienar Bens Móveis e Imóveis – Gilie -, sediada em Belo Horizonte. 

Os bens são oferecidos por preço abaixo do mercado, alguns com desconto de mais de R$ 40 mil em relação à avaliação. No entanto, garante a compra quem fizer o melhor lance. Para participar do certame, é necessário  efetuar depósito, a título de caução, correspondente a 5% do valor do imóvel. As propostas, acompanhadas dos respectivos comprovantes, deverão ser entregues, em envelope lacrado, na unidade da Caixa, até terça-feira, 05, no horário normal de expediente do banco. 

Estão à venda um apartamento no bairro Aeroporto II, por R$ 62.318,75 e um no Morada Nova, R$ 121.918,01; um terreno no Garcias, R$ 66.422,73; uma casa no Nogueira Machado, a R$ 251.700,78, e outra no Parque Jardim Santanense, R$ 80.313,47.

A abertura dos envelopes está marcada para começar às 12 horas, de 12 de dezembro, na sede da Gilie, na capital. Os concorrentes ou procuradores poderão acompanhar o ato. O mapa de classificação será publicado a partir do dia 15. Mais informações pelo telefone (31) 3214-5500.

 

 

 

Foi publicado na terça-feira, 28, pela Companhia Energética de Minas Gerais – Cemig – o edital de concurso público para provimento de 109 vagas na empresa. Há oportunidades com exigência de nível médio, técnico profissionalizante e universitário e os aprovados serão contratados sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.  Os interessados deverão se inscrever entre 05 de fevereiro e 12 de março, pela internet (www.fumarc.com.br). A taxa varia de R$ 50 a R$ 130, de acordo com a função para a qual o candidato irá concorrer. Os salários vão de R$ 2.498,30 a R$ 7.965,00. O edital completo está disponível em www.cemig.com.br.

 

 

 

A Escola Estadual João Dornas Filho venceu a categoria local do Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente. A iniciativa convida professores e estudantes a um olhar crítico para o que está mais perto, como o município, a escola e a casa, com foco no desenvolvimento de estudos voltados para a realidade da comunidade onde estão inseridos. 

Este ano, o tema proposto foi “Meio Ambiente e Ciência: A Energia na Minha Cidade”. O projeto da Escola João Dornas, realizado pelos alunos do Tempo Integral, teve orientação das professoras Cíntia Gonçalves Campos, Marci Emília e Tânia Morais. 

“A temática  trouxe a oportunidade de dar continuidade e enriquecer as experiências iniciadas em 2016, assim como de descobrir novas questões motivadoras”, comenta a educadora Cíntia Gonçalves Campos. 

A instituição de ensino escolheu a energia eólica como base de pesquisa. A ideia partiu de uma brincadeira no pátio, em que os estudantes usavam cataventos e perguntaram se o vento era mesmo capaz de gerar energia. Foi usado somente material reciclado. À frente da unidade educacional estão a diretora Arilda Luciene de Oliveira Corradi e a vice, Simone Paranhos. 

 

 

Daniel Luís Morais e Daniel Luís Morais Júnior conquistaram mais medalhas para suas coleções no último domingo, 26. Os atletas itaunenses disputaram a final do Campeonato Baiano de Jiu-Jitsu, em Salvador. Daniel “Cascão” ganhou três medalhas de ouro e uma de bronze, enquanto o filho garantiu uma de ouro.

“Agradecemos primeiramente a Deus e também, de coração, a todos que demonstraram carinho, enviaram mensagens e torceram pela nossa equipe”, comentou “Cascão”. 

 

 

 

Foi realizada no sábado, 25, a final do Campeonato Bola de Prata de Futebol Society 2017. O torneio, promovido pelo Iate Clube, terminou com a equipe Inglaterra como campeã e Portugal de vice. Solenidade no mesmo dia marcou a entrega dos troféus e medalhas, premiando também aqueles que tiveram o melhor desempenho nas modalidades peteca, buraco e truco, além dos destaques do futebol society em competições realizadas no clube.

 

 

 

Após um período afastados das competições, os irmãos Bárbara e Bruno Poline Mendes voltaram aos tatames conquistando medalhas. Os atletas disputaram a Copa do Brasil de Taekwondo, realizada em Brasília, entre 24 e 26 de novembro. 

 Inscrito na Sub 21, Bruno venceu a disputa pelo bronze. Bárbara chegou à final e foi vice-campeã, trazendo para Itaúna a prata, na categoria adulta até 62 quilos. 

“Encerro meu curto ano de competições com o terceiro lugar na Copa do Brasil, perdendo na semifinal para o primeiro colocado do ranking e vencedor do evento. Agora o foco é em 2018, em me preparar da melhor forma possível para subir mais dois degraus do pódio”, disse Bruno. 

Para Bárbara, ter sido vice-campeã da competição é uma grande conquista. “Ainda não veio o ouro, mas essa prata tem um significado especial de que quando eu quero, me dedico, eu posso ir ‘para onde tenha sol’", comentou a atleta. 

A Copa do Brasil contou 15 pontos no ranking nacional e reuniu atletas de todo o país. Os irmãos se preparam agora para as seletivas estaduais. 

 

 

 

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL -, Maurício Gonçalves Nazaré, e o diretor administrativo do Sicoob Centro-Oeste, Rogério Diniz, realizaram, no último dia 24, a entrega de mil fraldas para o Centro de Recuperação e Assistência Social Integrada – Crasi -, e a Fundação Frederico Ozanan, instituições responsáveis pelos asilos da cidade. Os materiais foram arrecadados junto aos participantes da palestra “Cenário Econômico”, com Rita Mundim, em 19 de outubro.

Outro evento realizado pela entidade, o “Seminário de Direito do Trabalho – Reforma Trabalhista”, em 09 de novembro, resultou na doação de 80 litros de leite longa vida, repassados para a Sociedade São Vicente de Paulo. A realização foi do Sindicato do Comércio Varejista de Itaúna – Sindicomércio, com apoio da CDL -, Associação Comercial e Empresarial – ACE -, Sicoob Centro-Oeste -, Sindicato Intermunicipal das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Itaúna – Sindimei –, e da Associação dos Contabilistas de Itaúna – Aconita.

 

 

 

O Instituto Santa Mônica/Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais participou da XIX Olimpíada Estadual das Apaes de Minas Gerais, realizada em Belo Horizonte, e  conquistou oito pódios na competição. A competição, entre os dias 16 e 19 de novembro contou com mais de 600 atletas com deficiência intelectual, usuários de 144 unidades educacionais mantidas pela entidade. Foram disputadas diversas modalidades, no Estádio Mineirinho e no Centro de Treinamento Esportivo da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG.

Dez alunos compuseram a delegação de Itaúna. Sob o comando técnico do professor Denis Soares Mariano, o "Filhote", o Instituto Santa Mônica competiu no handebol, natação, lancebol, futsal, queimada, arremesso de peso, lançamento de dardo e de disco, salto em distância, corrida 50, 100, 200 e revezamento 4x100, natação e capoeira.

Todos os atletas receberam medalhas de participação. O município conquistou o segundo lugar na queimada mista, com Bruna Moreira, Carolaine Aparecida Santos, Gilson Lima Lander, Levy de Andrade Carvalho e Saulo Augusto Lima, e também na corrida down com Carolaine e Alan Júnior. No handebol, Helbert Henrique Batista, Saulo, Gilson, Levy e Carlos Souza Júnior conquistaram a terceira posição, assim como o Marcos Vinicius Magalhães na corrida down. Na capoeira os atletas itaunenses Caroline, Marcos, Helbet e Saulo conquistaram a primeira, segunda e terceira colocações, respectivamente. Na natação Helbert ficou classificado em décimo. Também fez parte da delegação itaunense Terezinha Alves Pereira.

A Olimpíada Estadual é realizada de três em três anos pela Federação das Apaes do Estado de Minas Gerais - Feapaes/MG -, com o apoio da unidade anfitriã, que neste ano foi a de Belo Horizonte. O objetivo da iniciativa é proporcionar aos usuários das entidades a participação em um evento de grande amplitude e, principalmente, oportunizar momentos de interação, uma vez que frequentemente a pessoa com deficiência é impossibilitada desse convívio devido a barreiras físicas e sociais.

“A Olimpíada das Apaes é uma oportunidade que nossos alunos têm de mostrar seu potencial, que também são capazes de praticar esporte e desenvolverem habilidades. Também é um momento do autoconhecimento, tanto do próprio corpo, quanto de suas potencialidades. Além da interação com novas pessoas”, comentou o professor Denis “Filhote”.

 

 

A revisão do Plano Diretor, apresentada pelo governo de Osmando Pereira da Silva, por meio do projeto de lei n.º 11, de 20 de setembro de 2016, não atendeu às recomendações do Ministério Público, especialmente em relação às diretrizes para uso e ocupação do solo na área que fica ao entorno da Barragem do Benfica. Esse foi o principal motivo pelo qual a matéria teve a tramitação suspensa na Câmara, no início da atual legislatura, para que fossem feitas as adequações, em conformidade com os apontamentos feitos pela 3ª Promotoria de Justiça, responsável pela curadoria do Meio Ambiente. 

Agora, um grupo de vereadores tentou fazer com que a proposta elaborada pela gestão passada retornasse ao plenário para apreciação. O requerimento feito pelos parlamentares para formalizar a intenção causou muita confusão e “esquentou” os debates durante a reunião ordinária de terça-feira, 28. 

Antônio de Miranda leu o pedido e o entregou em mãos para o dirigente da Casa, Márcio Gonçalves “Hakuna”. Imediatamente, o líder do prefeito, Hudson Bernardes reagiu, afirmando que o corpo técnico da Prefeitura está empenhado em finalizar o projeto do novo Plano Diretor e remetê-lo à Casa. 

“Peço que votem contra, estamos aguardando a Procuradoria (do Munícipio) enviar a matéria. A equipe da Secretaria de Regulação Urbana trabalhou diariamente na questão e Vossa Excelência (o presidente do Legislativo) já disse que irá dar todo o amparo que o vereador necessitar para apreciar a questão”, comentou. 

Lacimar Cezário, o “Três”, também da base governista, reforçou as palavras do colega e lembrou que o novo Plano Diretor está prestes a chegar à Câmara.  Joel Arruda salientou que ainda há tempo para a apresentação e votação. 

Otacília Barbosa rebateu os argumentos afirmando que o substitutivo apresentado também foi feito por meio de um trabalho extenso, bem elaborado.  No entanto, uma falha detectada pela Procuradoria da Casa, inviabilizou a proposta do grupo de vereadores supostamente liderado pela advogada.  Para tornar o requerimento válido, seriam necessárias nove assinaturas, número que, a princípio, parecia constar no documento, que na verdade tinha oito signatários. Otacília havia rubricado uma vez e também assinado por extenso, o que causou a confusão.  

 

 

FACEBOOK

NOTÍCIAS

asdadasd