Após um ano e meio, Samuel Nunes pede exoneração do cargo de diretor-geral do Saae

0
83

Depois de cerca de um ano e meio à frente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto – Saae -, o contador e consultor empresarial Samuel Nunes resolveu deixar a direção-geral da autarquia. Informações acerca da possibilidade de o gestor pedir exoneração já circulavam há aproximadamente um mês. No entanto, a decisão foi anunciada somente no fim da última semana.

Samuel Nunes ingressou no Saae como diretor-administrativo e acabou substituindo Alisson Diego Batista Moraes, que estava no cargo mais alto da instituição desde o início do mandato do prefeito Neider Moreira, mas saiu para assumir a Secretaria de Governo. No posto, Samuel enfrentou algumas adversidades e conseguiu implementar mudanças significativas, como no caso do prêmio por produtividade, de 40%, que era pago irregularmente, aos servidores efetivos em apenas três funções, há alguns anos. Os estudos feitos por ele viabilizaram a extensão do benefício, limitado a 20% e mediante normas, a todos os funcionários, com aval da Câmara.

O ex-gestor também criou condições para que seja solucionado um antigo problema no chacreamento Recanto dos Colibris, mais conhecido como “Mamonal”. Em 2016, antiga administração fez uma ligação para garantir recursos hídricos aos imóveis do loteamento. A iniciativa da gestão do ex-prefeito Osmando Pereira consistiu em instalar um hidrômetro central, atendendo aproximadamente 100 residências. O problema é que o equipamento não foi registrado, impedindo a cobrança de tarifa.

O consumo chegava a R$ 12 mil por mês, no entanto, na ausência de um titular, não havia possibilidade de faturar. Hoje, a dívida acumulada pela comunidade da região alcançou a cifra de R$ 351,124 mil, que serão divididos em 36 vezes. O montante deverá ser dividido entre todos os usuários. Recentemente, após análise da minuciosa da situação, sob a coordenação de Samuel Nunes, o Executivo aprovou projeto para execução de obras naquela região. Um acordo prevê o pagamento dos débitos, em parcelas.

Entre as missões do ex-diretor estava a conclusão da Estação de Tratamento de Esgoto – ETE -, que a Prefeitura não conseguiu entregar em setembro, conforme anunciado. As obras seguem em execução, mas, por enquanto, sem previsão de término, devido a vários impasses. Quem substitui Samuel Nunes interinamente é Dalton Nogueira, que vai acumular a pasta com a Administração, que comanda desde o início de 2017. Outro nome, de um servidor de carreira, é cogitado, mas, até o fechamento desta edição, na noite de ontem, 19, não havia confirmação de que o funcionário aceitou o convite.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui