Câmara agrava decisão sobre eleição da mesa diretora e pede efeito suspensivo de liminar

0
294

A polêmica em torno da eleição da mesa diretora do Legislativo, iniciada em 19 de novembro, continua. Vereadores ligados a uma das chapas, impugnada por descumprimento da Lei Orgânica e do Regimento Interno, portanto, impedida de concorrer, foram à Justiça pedir a anulação do pleito. Os parlamentares conseguiram em primeira instância, a tutela de urgência, conforme despacho do juiz Alex Matoso, titular da 2ª Vara Cível da Comarca de Itaúna, na quarta-feira, 05, pela suspensão do resultado.

No entanto, a situação está longe de ser pacificada. A Câmara e o presidente, Márcio Gonçalves “Hakuna”, protocolaram nesta quinta-feira, 06, um agravo, com pedido de efeito suspensivo da liminar. A expectativa é de que uma nova decisão seja expedida em no máximo quatro dias. E, mesmo que não seja favorável aos eleitos para comandar a Casa nos próximos dois anos, Hudson Bernardes, presidente, Antônio José de Faria Júnior, o “Da Lua”, vice, e Lacimar Cezário, o “Três”, ainda cabem outros recursos.

A questão mais grave considerada pelo magistrado, ao deferir a tutela antecipada, foi referente ao número de votos dos que foram declarados vencedores, oito, contra nove que os oposicionistas deram ao grupo encabeçado por Gláucia Santiago, que pleiteou a presidência, junto de Giordane Alberto, como vice, e Márcia Cristina, secretária. No entanto, a defesa alega que, como essa última chapa estava impugnada, os votos, consequentemente, foram declarados nulos. Para o juiz, interferiu diretamente na eleição o fato de a sessão ter sido convocada no mesmo dia, além da constatação de quórum, que segundo os oposicionistas, foi feita de forma errada.

A impugnação de Gláucia foi ocasionada pelo fato de Giordane Alberto, atual vice-presidente da Câmara, figurar ao lado dela, como postulante ao mesmo cargo que ocupa hoje, o que é vedado pela Lei Orgânica do Município. Ele era ainda o secretário da composição de Alex Artur, o “Lequinho”, contrariando o Regimento Interno, já que concorreria a dois postos. “Lequinho” tentou retirar a candidatura, sem tempo hábil para isso, uma vez que a reunião já havia sido aberta pelo presidente “Hakuna”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui