Saae encerra mais uma etapa para concluir construção da ETE

0
183

Promessa antiga, que se arrastava há várias gestões em Itaúna, a Estação de Tratamento de Esgoto – ETE – deve ser entregue finalmente, após anos de espera e muitos prejuízos. A atual administração municipal encerrou mais uma etapa para a conclusão do empreendimento, com a contratação de empresa especializada em impermeabilização de estruturas e tubulações. A Engetintas Revestimentos Anticorrosivos executará o trabalho, orçado em quase R$ 2,6 milhões. O contrato foi assinado em 26 de dezembro de 2018. O Executivo pretende inaugurar a unidade neste ano.

A ETE terá quatro reatores, sendo o anaeróbio o principal deles e responsável pelo início de todo o processo. Os equipamentos garantirão que sejam tratados 219 litros de efluentes por segundo, vazão estimada de acordo com o número de habitantes de Itaúna atualmente. No entanto a capacidade instalada é de até 400l/s, para atendimento às demandas causadas pelo possível aumento da população até 2050. A gestão das obras é do Serviço Autônomo de Água e Esgoto – Saae.

Dificuldades geradas por erros no passado

Desde o início da atual administração, várias questões dificultaram a execução das obras da Estação de Tratamento de Esgoto – ETE -, que o ex-prefeito Osmando Pereira da Silva não conseguiu terminar, apesar dos compromissos firmados. A construção foi retomada pelo governo de Neider Moreira em 20 de setembro de 2017. Até então, as intervenções ficaram paralisadas devido à necessidade de adequações e reprogramação de contratos, em atendimento às exigências do Ministério das Cidades. Essa medida era necessária por causa de falhas no projeto original.

Indícios de fraudes em um pregão realizado em 2016, para aquisição dos componentes da segunda etapa, atrasaram ainda mais o empreendimento e levaram a diretoria do Serviço Autônomo de Água e Esgoto – Saae – a instituir uma comissão de sindicância para a apuração dos fatos. Os setores de Controle Interno e Jurídico acompanharam o trabalho, que culminou na constatação de irregularidades e, consequentemente, na anulação da concorrência feita na gestão passada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui