Iago Pranchana reaparece e esquenta reunião da Câmara

0
1109

Das treze últimas sessões ordinárias da Câmara, o vereador Iago Souza faltou a sete. E, nas poucas que foi, manteve-se calado quase o tempo todo. O vereador faltou, inclusive, a sessão da Comissão de Ética que apura as denúncias de uma possível compra de votos na eleição da Mesa Diretora no final de 2018. O caso veio à tona depois que o próprio vereador divulgou os áudios em que é oferecido a ele R$ 20 mil e uma suposta ajuda jurídica.

O silêncio do vereador foi quebrado esta semana, quando ao utilizar a Tribuna da Câmara, o parlamentar criticou a postura dos colegas. Iago iniciou sua fala dizendo que ia falar de política e não de politicagem, como seus colegas, segundo ele, têm feito. “Vir aqui nesta Casa, xingar prefeito, isto não é política. Eu não estou defendendo o prefeito, ele não será eleito novamente. Isto é realidade. Independe de mim. Independe desta Casa. Vim aqui para explicar algumas falácias que estão falando de mim. Jornais que me perseguem desde o início. Eu só pergunto para os munícipes: o que de ruim que já fiz, que tanto me julgam? O que que eu já fiz de errado, além de bafafá de vocês?”, disse apontado para a imprensa.

Iago afirmou que a Câmara é “a coisa mais inútil” que existe e ainda acusou, indiretamente, Antônio de Miranda, de se apropriar de um projeto, que, segundo ele, seria dele. O projeto em questão é o que prevê a redução no número de cadeiras na Casa. “O cargo de vereador é inútil. Fiz um projeto para reduzir para nove vagas para vereador. Digamos que um colega se apropriou da ideia. Sou o vereador que mais tem projetos apresentados e aprovados nesta Casa. E para gente aí fora falar que eu não faço nada? Odeio o social, há muito tempo. Eu fico calado, porque sei da qualidade do trabalho que eu faço”, comentou prometendo doar todos os seus salários, até o final do mandato, para as instituições APAE e para a AVACCI.

Denúncias

Em relação às denúncias de corrupção, apresentadas por ele, Iago se diz, novamente, perseguido. “Denunciei um caso de corrupção aqui nesta Casa. Envolvendo três vereadores, duas delas as mais bem vistas pela sociedade. E vocês (imprensa) ficam passando pano e me perseguindo. Eu denuncio um caso de corrupção e muitos me culpam. Como assim? Que hipocrisia é essa? É porque eu sou negro, tatuado, tenho cara de bandido?”.

Rebatendo o colega, Otacília Barbosa disse que o Ministério Público arquivou as denúncias contra ela e contra a vereadora Gláucia Santiago. “Estamos trabalhando de forma séria. Sem brincadeira nenhuma”.

Sobre o arquivamento da denúncia pelo Ministério Público, Iago criticou a decisão e disse que o promotor também o persegue. O vereador afirmou ainda que essa perseguição começou depois que ele demitiu uma assessora, que supostamente seria parente de Otacília Barbosa. “Vocês não gostam da verdade. Vocês gostam de ser enganados por pessoas que colocam amante dentro do gabinete. Falam que eu não venho (as reuniões). Para que vir?  Para fazer política de assistencialismo?. Eu tenho só verdade para falar”.

Por fim o parlamentar prometeu divulgar um vídeo em seu canal no Youtube.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui