Quase metade dos casamentos em Itaúna terminam em divórcio

0
1640

Itaúna tem registrado números consideráveis de divórcios nos últimos anos em relação ao índice de casamentos. Somente em 2018, foram realizadas cerca de 485 celebrações. Contudo, 234 dessas uniões terminaram em divórcio e seis em separação, conforme dados do Cartório de Paz e Registro Civil. Em cinco anos, a cidade teve um total de 688 rompimentos formais. E, os números continuam crescendo.

Em 2011, por exemplo, foram contabilizados 471 casamentos, 78 separações e 95 divórcios. Um ano depois, em 2012, houve 532 matrimônios, 50 separações e mais 173 divórcios. Em média, foram aproximadamente 10 divórcios realizados pelo órgão ao mês, nos últimos 3 anos. Números que podem assustar alguns casais.

Casamentos em maio    

Apesar do auto índice de separações conjugais, cabe ressaltar que a procura pelas datas para a realização dos matrimônios também tem crescido.  E, o mês de maio ainda continua sendo o mais requisitado pelos casais. Isso porque, de acordo com o fotógrafo Nathan Rodrigues, os futuros cônjuges preferem épocas que sejam posteriores ao período das férias.

“O pessoal busca muito vagas para se casar após o carnaval, logo depois das férias. Pelo fato de maio ser o mês das mães e de Maria, as mulheres gostam muito de se vestir de branco.  A demanda em maio é sempre alta. A sexta e o sábado são os dias mais procurados. Em maio, costumamos realizar de seis a oito casamentos”, comentou.  

Nathan também explicou que mesmo que o mês de maio dê início as estações chuvosas, os noivos ainda têm preferido temperaturas mais amenas e, para não estragar a festa, locais cobertos são as principais escolhas para os ensaios fotográficos.

Para o estilista Alexandre Oliveira, a data também chama a atenção dos casais pela oportunidade de se obter valores mais acessíveis nos alugueis e nas compras das vestimentas para os eventos.

“Em meus cinco anos de experiência, percebo, realmente, que há pessoas que buscam o mês de maio para casar e não abrem mão deste mês, mas há fatores que influenciam esta decisão, como facilidades nos pagamentos e promoções”, ressaltou.

Alexandre ainda acrescentou que além das datas de meio de ano, os meses de setembro, outubro, novembro e dezembro também tem tido grande procura. “Sabe-se que nos cartórios há mais casamentos, mas quem preza a tradição e busca a bênção em uma cerimônia religiosa, faz o casamento mesmo que simples”, afirmou.           

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui