Cerca de 1.500 pessoas em Itaúna já solicitaram o registro para ter arma de fogo

0
1122

O anúncio sobre a liberação da posse de armas em janeiro deste ano, está gerando uma movimentação em Itaúna para a aquisição de revólveres e outros modelos. Até o momento, cerca de 1.500 Certificados de Registros – CR – para a obtenção de armas de fogo foram solicitados na cidade, conforme informações levantadas pelo JORNAL S’PASSO.

Atualmente, o processo para a emissão dos CRs exige que o candidato passe por todo o trâmite legal antes de poder adquirir o material bélico. É obrigatório que os interessados possuam mais de 25 anos de idade; comprovem endereço fixo, assim como vínculos empregatícios, e atestem capacidade técnica, por meio do treinamento realizado nos stands de tiros. Também é exigido o histórico de antecedentes criminais, juntamente ao exame psicológico. O processo completo pode ser concluído em até uma semana.   

Em média, o valor cobrado pela emissão do registro é de R$2.500,00 a R$3.000,00.

Mudança nas regras

Além da facilitação para a posse de armas, o presidente também apresentou medidas para alterar o estatuto do desarmamento. Dentre as principais alterações estão: o porte de arma de fogo legalizado para caminhoneiros, jornalistas que cobrem eventos policiais, políticos (deputados, vereadores, senadores, prefeitos e presidentes), agentes de trânsitos e advogados. O prazo para a renovação do Certificado de Registro, que antes era de 5 anos foi estendido para 10 anos. E, agora, cada pessoa poderá portar até quatro armas com o mesmo CR, o que antes era proibido. A licença para o armamento passa a vigorar sob o nome de cada cidadão e não mais sob o registro.

Importar uma arma de outro país também está garantido por lei. Cada pessoa poderá comprar até cinco mil munições por ano, sendo permitido mil projeteis para armas de uso restrito das forças armadas e 50 cartuchos. Além disso, menores de idade, agora poderão praticar o tiro esportivo nos stands com autorização dos devidos responsáveis legais.

Para o despachante Potiguara de Almeida, a nova legislação irá beneficiar os cidadãos. “Hoje, o número de incidentes com a criminalidade é gigantesco. […] Por isso, todo cidadão de bem, maior de 25 anos, que está cansado de ser refém de bandido e ter seu direito violado, procura fazer os procedimentos legais, dentro das normas ditadas pelos órgãos de segurança, para obter sua arma para se proteger e proteger sua família. Comerciantes também tem grande procura para aquisição, para proteger melhor seu comércio, pois estão sempre a mercê de assaltos. Estudos apontam sociedades mais armadas como mais pacíficas, menos corruptas. O estado do Paraná por si próprio é o estado mais armado do Brasil e que tem o menor índice de criminalidade e assaltos. Seus números são irrisórios”, comentou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui