Celebrações marcam a Semana do Nascimento de Irmã Benigna

0
3023

História de caridade da religiosa está ligada ao Hospital Manoel Gonçalves, onde ela fundou a maternidade

Em comemoração dos 112 anos de nascimento de Irmã Benigna, a Associação dos Amigos da Irmã Benigna convida devotos e fiéis para momentos de espiritualidade e fé. Conhecida em Itaúna, sua passagem pelo município deixou marcas de fé em milhares de famílias quando iniciou seu apostolado prestando serviços religiosos na Casa de Caridade Manoel Gonçalves de Souza Moreira, primeiro local onde trabalhou e onde fez os votos perpétuos, em 1941, e diplomou-se em enfermagem. Em janeiro de 1943, foi nomeada Madre Superiora, assumindo a direção da casa de caridade, quando fundou a maternidade que deu assistência às mães carentes. Depois de 12 anos de dedicação e trabalho, Irmã Benigna encerrou sua missão em Itaúna.

As celebrações começaram na sexta-feira, 16, com uma missa em ação de graças pela vida e santidade da Irmã e pela sua beatificação, em Belo Horizonte.

Nesta segunda, 19, a missa e novena acontecem às 14h, no Santuário Nossa Senhora da Conceição dos Pobres, na Lagoinha, em Belo Horizonte.

No dia 21, quarta-feira, às 14h, a missa e oração das 90 Salve Rainhas, será na Tenda Cristo Rei, no bairro Juliana, em Belo Horizonte.

Já no dia 22, na quinta-feira, as 90 Salve Rainhas acontecem na Igreja São Cristóvão, no bairro São Cristóvão, Belo Horizonte.

No sábado, 24, a missa e orações serão no Noviciado Nossa Senhora da Piedade, na Pampulha, também em Belo Horizonte, às 9h, e em Lavras, às 11h, na missa e comemoração dos 112 anos do aniversário da Irmã Benigna, no Lar Augusto Silva, no centro.

Bibliografia

Irmã Benigna nasceu em Diamantina, no dia 16 de agosto de 1907. Em 11 de fevereiro de 1935 ingressou na Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade, fundada pelo Monsenhor Domingos Pinheiro, onde trabalhou em diversas casas.

Seu caminhar de vida deixou marcas profundas em todos que a conheceram e em todos os lugares por onde passou, levando inúmeras pessoas à fé e à conversão. Abdicava de si para cuidar do necessitado. Estava sempre disponível para ajudar e acolher a todos, a qualquer hora que fosse chamada, sem fazer distinção de pessoas. A todos ensinava a devoção à Nossa Senhora, o valor da caridade, da Missa, dos Sacramentos e das orações, especialmente a Salve Rainha, uma de suas orações prediletas. Em vida, amigos já a consideravam santa.

Em 16 de outubro de 1981, Irmã Benigna faleceu em Belo Horizonte, aos 74 anos.  Desde então, sua fama de santidade se espalhou ainda mais e são inúmeros os relatos de graças alcançadas através da sua intercessão. Em 15 de outubro de 2011, foi aberto pela Arquidiocese de Belo Horizonte o processo de sua beatificação que, atualmente, encontra-se na Fase Romana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui