Artistas questionam mudança do Departamento de Cultura

0
867

A migração do Departamento de Cultura para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, noticiado com exclusividade pelo JORNAL S´PASSO, mexeu com a classe artística.

O projeto de lei será analisado pela Câmara Municipal uma vez que a alteração mexe estruturalmente no Executivo e realocam verbas no orçamento.

“A mudança da pasta da Cultura para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico causa, nos artistas, muitas dúvidas com relação à finalidade de tal mudança. Ela está sendo imposta a toque de caixa, sem que haja antes um pensamento conciso acerca das vantagens e desvantagens com relação aos agentes culturais”, afirma o mestre em Arte, Léo Souza. 

A ex-funcionária do Departamento de Cultura, Regina Glória, alega que antes do Executivo ter levado o projeto de lei para o Legislativo, era preciso um diálogo com a comunidade. “Não só a classe artística, mas toda comunidade. Vivemos em tempos tenebrosos e sombrios onde somos surpreendidos a todo o momento, com interesses travestidos de discursos. Total abuso e retirada de direitos na educação, cultura, meio-ambiente, enfim o social sendo saqueado e pisado”, desabafa.

Segundo informações apuradas pelo JORNAL S’PASSO a mudança seria para impulsionar o Turismo e a Cultura, como forma de movimentar a economia da cidade. Uma vez que, neste ano, Itaúna entrou no Circuito Trilha dos Bandeirantes e reativou o Conselho de Turismo.

Léo Souza pondera e acredita que a mudança agrega a Cultura como bem econômico, algo que foge do seu significado de valor imaterial. “A Prefeitura apesar de discutir temas, mudar a Cultura de pasta, tentar provar que tem programas culturais que funcionam, não apresentou nenhuma política cultural que possa fazer com que a Cultura realmente aconteça”, ressalta.

O artista afirma que a mudança será “mais do mesmo” e que o Executivo continuará ignorando a Cultura como bem de consumo, dando a ela uma importância econômica, enquanto a população tem cada vez menos acesso aos bens culturais.

O ex-diretor do Departamento de Cultura, Charles Telles, concorda e acredita que o setor só irá funcionar quando for reconhecida com tal importância e o gestor da pasta conseguir autonomia e ter compromisso com a mesma.

Procurados pela Reportagem, o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Diógenes Vilela e o gerente de Cultura, Ilimane Lopes, Joe, preferiram esperar a aprovação do projeto..

A secretária de Educação, Alessandra Araújo, não foi encontrada para comentar sobre o assunto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui