Alerta Vermelho para o Sarampo

0
623

Campanha de vacinação é intensificada após registro da doença

Após um mês de especulações, ainda não há a confirmação definitiva da Funed, fundação que realiza os exames para a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais – SES -, entretanto o caso tem tudo “para dar positivo”, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde. Em Minas Gerais já são 18 casos confirmados de sarampo e ainda há 489 casos suspeitos em investigação, de acordo com o último Boletim Epidemiológico divulgado no dia 11. Como ação preventiva, a campanha de vacinação contra a doença foi intensificada na cidade. Até o momento nenhum outro caso suspeito surgiu no município.

A jovem itaunense, de 20 anos, teria tido contato com o vírus no estado de São Paulo, onde esteve em julho. E mesmo com seu cartão de vacinas em dia, com duas doses, a mulher teria contraído a doença, dando entrada no pronto socorro do Hospital Manoel Gonçalves, em agosto. “Ela estava vacinada, então os sintomas são mais brandos da doença do que aquela pessoa que não tomou a vacina”, explica a coordenadora de epidemiologia, Sara Santos.

Após o primeiro exame confirmar as suspeitas de Sarampo, foi feita a vacinação de bloqueio em pessoas do contato da paciente e nas residências próximas à sua moradia. O bairro não foi informado pela Secretaria Municipal de Saúde.

Outra ação preventiva realizada foi à intensificação da campanha de vacinação na cidade, sendo liberadas mais 1.200 doses liberadas para a cidade. Hoje, 76% da população itaunense está imunizada, com o cartão de vacinação atualizado, de acordo com a coordenação de epidemiologia e todos os postos de vacinação contém as doses durante todo o ano.

“Não está acontecendo a campanha nacional contra o sarampo, o que está ocorrendo é uma ação de intensificação de vacinação, onde foi introduzida a “dose zero” e as demais faixas etárias seguem o calendário de rotina vacinal, lembrando que a vacina é tríplice viral, integrada contra a Rubéola e a Caxumba”,  explica a referência técnica do departamento de epidemiologia, Idamyana Ferreira.

A vacina contra o sarampo evita 98% dos casos, se estiver com o esquema vacinal completo. Pessoas de 01 a 29 anos precisam ter tomado as duas doses para serem consideradas imunes. Já pessoas de 30 a 49 anos precisam de apenas uma dose. Se não tomou, não lembra ou perdeu o cartão, a recomendação é que tome.

As pessoas com mais de 50 anos são consideradas imunes, pois de acordo com o Ministério da Saúde, elas já entraram em contato com a doença, de alguma forma, e já possuem anticorpos.

Se não lembra ou perdeu o cartão de vacinação, a recomendação é que procure um posto de saúde. “Fazemos um apelo a toda a comunidade para estar indo ao posto de saúde, onde faremos a conferência do cartão de vacinação, e quem precisa ser vacinado estaremos aplicando a dose necessária, mas não fique na dúvida, nos procure”, pede Sara Santos.

“Dose Zero”

Com o aumento dos casos, o Ministério da Saúde recomenda que todos os bebês de seis a 11 meses tomem a dose zero.

Pelo calendário de vacinação regular, a primeira dose contra o sarampo é aplicada após os 12 meses. Com a dose extra considera pelo governo federal como medida preventiva, não substitui as demais previstas.

Com isso, além da “dose zero”, os pais e responsáveis devem levar as crianças para tomar a vacina tríplice viral aos 12 meses de idade, e aos 15 meses, para tomar a segunda dose da vacina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui