De novo a Autotrans

0
1116

aumento na passagem e má qualidade do serviço mobilizam críticas dos vereadores

Em meio às comemorações do aniversário da cidade, a população pode receber um presente de grego: o aumento das passagens de ônibus. A Comissão Permanente de Análises de Planilhas de Custo da Prefeitura analisa o pedido de reajuste da tarifa. As propostas de aumento elevam a passagem para R$ 4,11, sem a presença dos cobradores, e de R$ 4,25, com parte da frota operando com cobradores.

O condicionamento irritou a Câmara. Em tom uníssono os 17 vereadores teceram longas e duras críticas a Autotrans. Especulações sobre o aumento na tarifa, má qualidade dos serviços prestados, atrasos, desdém com o Legislativo e acusações de chantagem foram relatadas pelos vereadores.  “No ano passado, já achei abusivo o aumento. Mas este ano, creio que temos que nos unir e lutar para que se vier o aumento que ele seja justo” afirmou Joel Arruda.

Gleisson Fernandes afirmou que usuários do Programa Conduz, destinado a pessoas com deficiência, não são bem atendidos. Além do sucateamento dos veículos, a demora em buscar e levar os usuários ao seu destino são rotineiras. “Tenho relatos de gente que esperou mais de mais de duas horas pelo transporte”

Já Márcia Cristina cobrou união e empenho dos colegas. “Gostaria de pedir que a gente se unisse independente de base, de oposição, até mesmo para mostrar ao prefeito que estamos unidos. Temos que cobrar soluções. Está tudo errado. A empresa não está cumprindo as cláusulas do contrato”.

Márcia apresentou dados em que confirma que alterações no contrato foram realizadas pela atual administração e que, segundo a vereadora, estariam  impactando na qualidade do serviço. “Se está essa cacaria aí não é só por conta da Autotrans não”.

O presidente da Câmara, Alexandre Campos, denunciou que a empresa já está descumprindo o contrato e que não respeita a Câmara. “Infelizmente o que a Autotrans está fazendo com está Casa é uma tremenda falta de respeito. Parece que a gente não participa do munícipio. O pedido de informação, que trouxe esta informação (do aumento) foi meu, o Executivo falou que não era para divulgar para não dar repercussão. Neste mesmo pedido fala que somente 25% da frota estão com trocadores. Sendo que o contrato fala que tem que ser de 50%. A prefeitura tem que tomar uma providência”.

 Márcio Gonçalves Pinto, o Hakuna, autor da lei que impede que motoristas acumulem a função de trocador disse que “a empresa é uma piada pronta e que subestima a Câmara”.

Mudança de nome

Em meio às críticas sobre a qualidade de seus serviços, A concessionária confirmou que está em processo de mudança de nome: em breve os ônibus vão circular com o nome ViaSul ao invés de Autotrans.

A alteração será apenas na nomenclatura já que a empresa continuará pertencendo ao grupo Saritur. Os coletivos continuarão com a mesma identidade e cores características, apenas terão o nome da empresa trocado.

Márcio Gonçalves Pinto, o Hakuna,, presidente da Comissão Especial do Legislativo, que  acompanha a atuação da empresa e analisa o contrato de concessão, criticou a alteração. “Gostaria de tornar público que quando nós constituímos aqui a Comissão para fazer uma investigação mais aprofundada no contrato da Autotrans, misteriosamente a empresa mudou a razão social para Viasul, misteriosamente.  Aí nós fizemos o pedido de informação para a Autotrans, e quem respondeu foi a Viasul. É certo que ela é a atual concessionária, mas as informações deveriam ter sido passadas. Não tem nenhum problema, se acham que isso vai vencer a nossa vontade de fiscalizar, eu acho que eles estão equivocados. Não adianta vocês subestimarem esta Casa, acho que é uma besteira sem fim”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui