Vandalismo e drogas assustam alunos e professores das escolas Celuta e Gilka

0
839

Liberação de recursos anunciada pelo governo do Estado para reforma de escola causa mal-estar político

A Escola Estadual Gilka Drummond de Faria, antigo Polivalente, é uma das 132 instituições de ensino de Minas Gerais que receberá recursos do governo Zema. Serão R$ 103 mil para a realização de reformas. Em solenidade na Cidade Administrativa, o governador ressaltou a “deterioração” das escolas públicas e disse que fará o que “estiver ao alcance” para recuperar a estrutura da rede pública estadual.

As escolas que receberão os recursos foram escolhidas a partir da urgência das reformas, apontadas em diagnóstico feito por técnicos que visitaram as instituições em todo o Estado. Com as informações das vistorias e com base nas necessidades de cada instituição, a equipe da secretaria elaborou o plano de atendimento.

Porém, apesar da decisão ter sido técnica, a “paternidade” da escolha da Escola Estadual Gilka Drummond para receber o benefício, causou mal-estar no meio político. Em vídeo divulgado nas redes sociais, o deputado Cleitinho, de Divinópolis, anunciou a liberação e disse que foi procurado pela vereadora Otacília Barbosa para reivindicar melhorias nas escolas estaduais.

O anúncio pegou de surpresa correligionários do deputado estadual Gustavo Mitre já que o político vinha atuando nos bastidores para que a escola itaunense recebesse o recurso. As reuniões entre o deputado e a Secretaria de Educação estariam acontecendo desde maio, quando o próprio deputado, em sua rede social, divulgou uma foto com a titular da pasta.

Os repasses são parte do Programa de Revitalização de Escolas Estaduais de Minas Gerais, Mãos à obra na escola. Estão previstas obras emergenciais, como reforma de telhados, banheiros, cozinha, refeitórios, rede elétrica, reforço estrutural de salas de aula, substituição de portas e reforma geral de instalações.

Vandalismo e drogas

O anúncio da liberação de recursos veio na mesma semana em que a direção da Escola Municipal Celuta das Neves, que funciona no mesmo prédio da Escola Estadual Gilka Drummond, promoveu reunião de pais para debater problemas e propor soluções para a instituição.

Um dos temas em pauta foi o vandalismo e relatos que alunos das escolas estariam promovendo arruaças e baderna. Carteiras e salas depredadas, bombas estouradas nos banheiros, portas quebradas são problemas constantes. O uso de drogas no entorno da escola também foi destacado como uma das principais preocupações dos pais e educadores.

Segundo uma mãe, que participou da reunião, mas pediu para não ter nome divulgado, a coordenação da Escola foi bem clara ao mostrar os problemas e pedir apoio dos pais para buscar soluções e diminuir os casos de violência. “Ficamos mais de três horas reunidos e fomos informados dos acontecimentos que fazem parte do dia a dia da escola. A Polícia Militar tem feito rondas constantes para evitar o tráfico e uso de drogas no colégio, mas os atos de vandalismo deixaram marcas por todo o prédio e não há nem mais porta nos banheiros”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui