Sem solução desde 2011, Neider dá ultimato ao Estado para reinício das obras do presídio

0
346

O prefeito Neider Moreira enviou projeto à Câmara dando um ultimato ao Estado para que em 36 meses o governo conclua as obras do novo presídio, situado às Margens da rodovia MG-050.

A intenção é fomentar discussões e definir a situação que se arrasta desde 2011 quando a construtora Andrade Valadares venceu a licitação e iniciou a construção. Foram feitas obras estruturais, de terraplanagem e preparação do terreno, porém em 2012 a obra foi paralisada, devido a problemas no processo licitatório.

No ano seguinte, em julho de 2013, a Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, esteve no local e na cadeia da rua Santana. Os deputados prometeram atuar junto ao governador para que as obras fossem retomadas, o que não aconteceu até o momento.

A construtora abandonou a obra e um segundo edital chegou a ser publicado e homologado em 2014, mas a ordem de serviço nunca foi assinada.

Polêmica

Em reunião do Conselho de Segurança Pública de Itaúna, Consepi, na quarta-feira, o assunto voltou à pauta. O prefeito Neider Moreira confirmou que a intenção é manter o projeto, que seria construído com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e que tratativas com o Secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, General Mário Araújo, foram realizadas, com promessas que a licitação seja publicada até o fim de 2019, com as obras iniciadas em 2020.

Em nota divulgada na quinta-feira, a Prefeitura de Itaúna desmentiu informações compartilhadas nas redes sociais de que novo presídio teria 1.500 novas vagas.

A polêmica chegou a internet depois que a oposição disseminou críticas ao projeto apresentado pela prefeitura, que questionava se Itaúna precisava ou não de um novo presídio. Uma enquete on-line teria sido, inclusive, criada para debater o assunto.

Segundo o Poder Executivo, a execução da obra não interfere em futuros projetos na região, como a construção de um aeroporto e a instalação de empresas. “A verdade é que serão 302 vagas, número considerado ideal para atender a nossa Comarca. A construção do presídio se faz necessária em virtude da falta de estrutura que a atual cadeia, com sede na rua Santana, apresenta. A retirada do presídio da região central da cidade proporcionará mais segurança e comodidade para os moradores e comerciantes da região”, diz a nota oficial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui