Polêmica em torno de abertura de crédito suplementar

0
328

Toinzinho e Márcia tentam reduzir alíquota de remanejamento, mas governo sai vitorioso

Com muita polêmica, os vereadores aprovaram projeto de lei que autoriza o Executivo a abrir crédito suplementar no orçamento vigente em mais 5% do total da despesa fixada, para reforço das dotações do orçamento do exercício financeiro de 2019.

A suplementação será destinada para o empenhamento das despesas de manutenção das Secretarias Municipais, em especial, o adiantamento do pagamento dos servidores correspondente ao mês de dezembro, o próprio pagamento de dezembro, além do 13º (décimo terceiro) salário.

Antônio de Miranda e Márcia Cristina apresentaram uma emenda ao projeto, reduzindo o índice de 5% para 3%. “Aprovamos 5% no remanejamento, no meio do ano aprovamos mais um, não me lembro se 1% ou 2% e agora o prefeito vem pedir mais R$ 15 milhões. Com a emenda, estamos dando para ele o direito de remanejar R$ 9 milhões. Pelas nossas contas, o 13º gira em torno de R$ 6 milhões, pois falta só a parte complementar, já que os servidores recebem metade do 13º no mês de aniversário. O que está faltando é uma “intera”. Com a emenda, estamos dando uma folha cheia de pagamento e o décimo terceiro. É comum que o prefeito peça a mais porque sabe que os vereadores irão avaliar, reduzir”.

Gláucia Santiago, aliada política de Antônio de Miranda,  disse que votaria contra a emenda,  uma vez que não se tratava de empréstimo.

Hudson Bernardes reforçou o pedido e disse que o orçamento é dinâmico e lembrou que o debate é salutar. “Temos obrigação de acompanhar todos os decretos de suplementação” discursou em defesa da manutenção dos 5%.

Farpas

Antônio José de Faria Júnior, Da Lua, e Lucimar Nunes Nogueira, Lucinho de Santanense chegaram a trocar farpas durante a votação. Da Lua quis saber se o presidente da Comissão de Finanças, no caso Lucinho, iria se manifestar sobre o assunto. Diante da resposta negativa, Da Lua disse que desta forma ficaria até difícil de votar, já que ele teria dúvidas a esclarecer. “Se o senhor tem dúvidas, que chegasse mais cedo e olhasse o projeto. Estou te respondendo à altura” rebateu Lucinho.

Após muita discussão, a votação da emenda foi feita de forma nominal. Somente quatro vereadores foram favoráveis a emenda de reduzir o percentual de 5% para 3%, Antônio de Miranda, Márcia Cristina, Joel Arruda e Otacília Barbosa.

Votaram contra Gláucia Santiago, Hudson Bernardes, Lacimar Cezário, Anselmo Fabiano, Gleisson Fernandes, Iago Santiago, Silvano Gomes, Giordane Alberto Antônio José de Faria Júnior, Márcio Gonçalves, Alex Arthur e Lucimar Nunes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui