Hospital Manoel Gonçalves pode perder convênio com o SUS caso não cumpra obrigações

1
3852

Justiça deu 120 dias para plano de ações ser apresentado pela administração

O Manoel Gonçalves e outros 33 hospitais, da região Centro Oeste, através da Superintendência Regional de Saúde de Divinópolis (SRS), o Estado e a União terão 120 dias para apresentarem soluções para a alta taxa de déficit de leitos, ausência de investimentos adequados, poucos resultados, dentro outras demandas.

A decisão judicial é referente à ação proposta pelo Ministério Público Federal e o Ministério Público de Minas Gerais que consideraram a região como a “pior do estado em assistência hospitalar”.

Com isso, os hospitais devem cumprir exatamente o que foi contratado pelo SUS e, em caso de recusa, eles serão desabilitados da rede. As unidades recebem de R$ 40 a R$ 400 mil por mês, de acordo com o nível assistencial.

O JORNAL S’PASSO tentou contato com a provedora do hospital, Marilda Chaves, sobre as possíveis adequações e necessidades que o hospital terá que cumprir, entretanto, até o fechamento desta edição, não houve retorno.

A SRS de Divinópolis esclareceu para a redação do Jornal que o plano elaborado será em âmbito regional, desenvolvido pelo órgão, em conjunto com o Consórcio Intermunicipal de Saúde para gestão dos serviços de Urgência e Emergência (CIS-URG) e o Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Minas Gerais. E, entre as ações desenvolvidas está um maior rigor nos contratos dos 34 prestadores, entre eles o Hospital Manoel Gonçalves, que devem cumprir, o acordo proposto anteriormente que é atender pelo SUS. O Estado de Minas tem até 120 dias para aprovar os laudos de comprovação dos hospitais e apresentar um plano a partir da intimação da sentença.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui