SAÚDE: Itaúna receberá verbas de acordo com cadastrados no SUS

0
1489

Apenas 70 % da população tem a carteirinha do sistema

Com a promessa de distribuir R$ 2 bilhões a mais de recursos a partir do próximo ano para os municípios que melhorarem a saúde dos brasileiros, o Governo federal lançou o Programa Previne Brasil que destaca que 50 milhões de brasileiros que não são acompanhados, passarão a ser amparados pelos serviços de saúde da Atenção Primária. O programa também estabelece que o número de pessoas cadastradas no SUS será o critério usado para financiar a saúde dos municípios. A medida começa a valer a partir de maio do próximo ano e por isto, o Ministério da Saúde está convocando gestores e profissionais de saúde de todo país a atualizarem o registro dos pacientes do Sistema Único de Saúde.

Hoje, os recursos do Ministério da Saúde são destinados conforme o número de habitantes. Ou seja, Mateus Leme tem 37 mil pessoas cadastradas no SUS, mas a população estimada pelo IBGE indica que há 31 mil habitantes na cidade. Com o novo sistema, o Município terá direito a recursos superiores aos que são recebidos atualmente.

De acordo com o Ministério da Saúde, outros dois critérios utilizados para definição dos recursos são a melhoria das condições de saúde da população, como impedir o agravamento de doenças crônicas a exemplo da diabetes, redução da mortalidade de crianças e mães, e ainda a adesão a programas estratégicos, como o Conecte SUS, para informar a população dos serviços, e a Saúde na Hora, que amplia o horário de atendimento à população com abertura das unidades durante o almoço, à noite ou aos fins de semana.

De acordo com o secretário de Saúde, Fernando Meira, ações de conscientização e sensibilização da população serão realizadas na cidade no primeiro quadrimestre de 2020. “A atuação será voltada para a atualização dos cadastros e o cadastramento da população que ainda não possui o cartão SUS. Os Agentes Comunitários de Saúde participarão ativamente desse processo”, destaca.

O secretário diz ter boas expectativas, mas que ainda é cedo para prever qualquer resultado com o novo modelo. “É uma mudança de paradigma, de tudo que foi construído até hoje e vai impactar a atenção secundária e terciária. Esperamos que esse novo modelo consiga, realmente, transformar a atenção primária da saúde, ao estimular as equipes a produzirem, visitarem as casas das pessoas e verificar a população de cada área assistida”, conta Fernando Meira.

Cadastro

Para realizar o cadastramento no SUS, a pessoa pode ir nas unidades de saúde do seu bairro ou mesmo realizá-lo durante a visita domiciliar da equipe de Saúde da Família, equipes de Atenção Primária e agentes comunitários de saúde, até abril do próximo ano. O cadastramento também poderá ser feito pelo CPF do paciente e não apenas pelo Cartão Nacional de Saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui