Letícia consegue consulta no Hospital da Baleia e família agradece doações de leitores

0
323

O JORNAL S’PASSO trouxe a história da pequena Letícia, de apenas seis meses, e a peleja da família para suprir a obstrução respiratória causada pela doença conhecida como sequência de Pierre Robin, que se manifestou de maneira leve na menina, mas ainda assim faz com que ela precise de uma traqueostomia para respirar. A família lutava para conseguir uma consulta no Hospital da Baleia, em Belo Horizonte, além de precisar de um leite especial e caro, usado diariamente por Letícia.

Esta semana, a família veio agradecer as doações dos leitores e apoiadores da causa. “Recebemos muito leite, sondas, luvas e tem pessoas que ainda querem ajudar. Nosso empenho agora é cobrar da Prefeitura”, conta a mãe, Patrícia Moreira.

Letícia se mostra uma verdadeira guerreira e surpreende os médicos. Ela está desenvolvendo e crescendo e, a tendência é tirar a traqueostomia e depois a sonda grastrointestinal.

Durante a consulta no Hospital da Baleia, as expectativas eram grandes, uma vez que o procedimento mais adequado, segundos os médicos, seria uma canola nasofaringe e não uma traqueostomia, como Letícia usa. “Fomos à consulta com o cirurgião, mas ele encaminhou para um especialista em cabeça e pescoço, que definirá se ela continua com a traqueostomia ou se muda através de uma cirurgia para a canola, que ligará o tubo do nariz até o pulmão”, explica Patrícia.

No Hospital da Baleia, Letícia também começará um tratamento com uma fonoaudióloga, que estimula os exercícios dos músculos da face e pretende introduzir a mamadeira na alimentação da pequena.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui