Rio São João transborda mesmo com comportas abertas

0
1582

Mesmo com empresas controlando vazão da barragem do Benfica, Rio São João e Ribeirão Joanica transbordaram

As chuvas intensas que caíram em Minas Gerais esta semana, não deram trégua também em Itaúna. A Defesa Civil do Estado chegou a emitir um alerta para tempestades e o Instituto Nacional de Meteorologia divulgou um “Alerta Vermelho”, ou seja, situação meteorológica perigosa. De acordo com INMET, Itaúna está recebendo um volume de chuva muito grande o que pode provocar alagamentos e transbordamentos de rios, além de deslizamentos de encostas. “Não é para pânico, está tudo sob controle e estamos monitorando o Rio São João, mas a orientação é ficar em alerta, não enfrentar o curso e a vasão da água”, explica Márcia Moreira, coordenadora da Defesa Civil.

Segundo Márcia, até o momento não houve desocupação das casas próximo ao rio, mas já está em ação um plano de contingência, em que é recomendado que as famílias, das áreas que apresentam risco de alagamento, coloquem móveis e eletrodomésticos em lugares mais altos. Márcia destaca ainda que o medidor do rio, localizado no bairro Morro do Engenho estava marcando três metros na sexta à tarde, mas já a noite o limite extrapolou os seis metros.

Barragem do Benfica

Em nota, a Companhia Itaunense Energia e Participações e Companhia Tecidos Santanense, responsáveis pela Barragem do Benfica, comunicaram que foram contatadas pela Prefeitura Municipal e Defesa Civil para auxiliar na prevenção de inundação decorrente das chuvas previstas para os próximos dias e optaram por aumentar a vazão da barragem. A medida visa diminuir o volume de águas acumulado no reservatório. As empresas salientam que, se não houvesse a barragem do Benfica, o Rio São João já teria transbordado, pois mesmo com as comportas abertas parcialmente, o reservatório continua a subir.

As duas empresas reforçam que até novembro do ano passado faziam o monitoramento do rio de forma constante, mas depois de uma liminar do Ministério Público Estadual que as impediu que de produzir energia elétrica e captar água do reservatório, o monitoramento foi suspenso. “Desde novembro perdeu-se o controle anteriormente existente No período mais crítico de chuvas, no final do ano, as empresas tiveram sua gestão cerceada sobre a barragem, algo que nunca antes havia acontecido. A barragem, então, entrou no mês de janeiro de 2020 com um volume acima do previsto e além daquele registrado em outras épocas. Se não fosse a liminar que suspendeu nossas atividades por quase um mês, a situação hoje estaria mais tranquila e, muito provavelmente, o Rio São João estaria em um nível mais baixo em seu percurso dentro do município”, declara a nota.

As empresas destacam que se a liminar não tivesse sido derrubada, a situação poderia ser muito pior, em razão do volume superior de água que estaria acumulado no reservatório.

De acordo com a prefeitura, a Barragem do Benfica transbordou devido ao grande volume de água, em decorrência das chuvas na região da Cachoeira dos Chaves, as empresas responsáveis realizaram manobras de controle de vazão no decorrer dos dias, mas mesmo assim o Rio São João e Ribeirão Joanica não suportaram. Imediações da Avenida são João (próximo ao Hospital) e proximidades do Mart Minas ficaram completamente alagadas, impedindo o trânsito. Nenhuma família foi retirada do local.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui