Polícias Militar e Civil agem em conjunto contra o crime organizado

0
349

Na última semana o Jornal S’PASSO divulgou a informação confirmada junto à Polícia Civil, que os quatro assassinatos que foram registrados em Itaúna no final de dezembro e início deste ano, têm como motivação a rivalidade entre facções.  

Os crimes e as tentativas de homicídio aconteceram nos bairros Morada Nova, Santa Edwiges, Novo Horizonte e Irmãos Auler e, segundo as investigações da Polícia Civil, 16 jovens formavam uma facção e, após um deles ter sido assassinado por um integrante do grupo, eles se separaram e viraram rivais. As autoridades informaram também que alguns envolvidos disseram que a guerra só acabaria “quando todos os rivais estivessem mortos”. 

Com base nas investigações e depoimentos, inclusive de muitos jovens menores de idade, nesta semana a 51ª Cia da Policia Militar e a Polícia Civil começaram uma operação conjunta para prevenir, coibir crimes violentos e descaracterizar essas organizações criminosas. De acordo com o delegado da Polícia Civil, Jorge Melo, a operação até o momento foi exitosa e já são possíveis apresentar números. “Com essa operação conjunta, já conseguimos levantar um organograma completo desta rede do crime organizado. Constatamos que os traficantes roubam, traficam, matam e mantém muitos esquemas. Não estamos esperando acontecer mais crimes para agir, pois a operação está conseguindo deflagrar e prender os principais criminosos e encaminhar os menores de idade para fundações ou instituições de reintegração”, destacou. 

Atuação 

Durante a operação que contou com o efetivo de 31 policiais militares e civis, foram abordadas 57 pessoas e 22 veículos fiscalizados, resultando na apreensão e recuperação de dois veículos com queixa furto e roubo, além de três armas brancas terem sido retiradas de circulação. Ainda durante a ação, quatro pessoas foram presas, uma delas com mandado de prisão em aberto, decorrente de envolvimento em crimes de homicídios. Foi realizada também a condução de dois adolescentes que se encontravam com mandado de internação expedido pelo poder judiciário, também por envolvimento com homicídios. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui