Maioria dos vereadores deve mudar de partido

0
1161

Começou nesta quinta-feira 5, a chamada “janela partidária”. Os mais de 8 mil vereadores do Estado de Minas Gerais, contando com os 17 de Itaúna, que quiserem concorrer às eleições municipais de 2020, seja como candidato à reeleição ou para o cargo de prefeito, podem fazer a mudança de partido sem ser punido.

O prazo para a mudança segue até o dia 3 de abril, seis meses antes do pleito eleitoral, que terá o primeiro turno marcado para o dia 4 de outubro. Neste ano, o período será ainda mais intenso, pois, começa a valer algumas mudanças significativas. A principal delas é o fim das coligações na disputa proporcional, ou seja, na votação para vereadores. As alianças só continuam valendo para cargos do Executivo, no caso dessas eleições, Prefeito e Vice-Prefeito.

Com a alteração, cada partido precisará apresentar uma lista composta de 26 candidatos a vereador, sem se coligar com outras legendas. No meio político, a mudança é bem vista pela maioria dos candidatos. Em geral, há uma aposta no fortalecimento das legendas maiores e na qualificação dos quadros e do debate interno. A chapa que obtiver a média de 3 mil votos consegue fazer uma cadeira, a que obtiver 6 mil duas e dificilmente a que obtiver 9 mil, consegue três, das 17 cadeiras. É levado em consideração o voto de legenda também.

Infidelidade partidária

A Mudança de partido fora do prazo pode ser enquadrada como infidelidade partidária e levar à perda do cargo. A partir de 15 de maio os pré-candidatos poderão fazer arrecadação prévia de recursos na modalidade de financiamento coletivo. Criado pelo Congresso, o valor corrigido do FEFC (Fundo Especial de Financiamento de Campanha) deve ser divulgado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em 16 de junho. Os partidos podem começar a promover convenções internas para escolha de seus candidatos em julho. A Justiça Eleitoral vai receber os registros das candidaturas até 15 de agosto. Fica permitida a propaganda eleitoral, nas ruas e na internet, de 16 de agosto a 3 de outubro, dia anterior ao 1º turno. O 1º turno das eleições será em 4 de outubro. A votação vai das 8h até às 17h, quando começa o processo de apuração. A diplomação dos eleitos deve ser realizada até 19 de dezembro.

Alex Artur da Silva (Lequinho) – É do PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira e ainda não definiu se continuará ou vai mudar de partido;

Alexandre Magno Martoni Debique Campos – Era do MDB – Partido do Movimento Democrático Brasileiro e passa para o DEM- Democratas;

Anselmo Fabiano Santos – Era do PHS – Partido Humanista da Solidariedade- Com a incorporação ao PODEMOS, está avaliando outro partido;

Antônio de Miranda Silva (Toinzinho) – Era do PHS – Partido Humanista da Solidariedade e com a incorporação ao PODEMOS, passa para o PSC- Partido Social Cristão. O vereador colocou o nome à disposição para pré-candidato a prefeito, segundo ele, “vai depender do grupo político e da população”;

Antônio José de Faria (Da Lua) – É do PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira, segundo o vereador ele vai sair do PSDB, mas ainda está avaliando outras chapas. Fontes ligadas ao jornal afirmaram que existe a possibilidade do vereador disputar o cargo de prefeito ou vice;

Giordane Alberto Carvalho– Era do PMB – Partido do Movimento Democrático Brasileiro e está estudando ir para o DEM – Democratas;

Gláucia Maria Santiago Rodrigues – Era do PSB – Partido Socialista Brasileiro e passa para o PL – Partido Liberal;

Gleison Fernandes de Faria (Gleisinho) – É do PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira, o vereador não retornou o contato da redação até o fechamento desta edição;

Hudson Rodrigues Bernardes – Era do PSC – Partido Social Cristão e possivelmente passará para o PSD – Partido Social Democrático, “mas ainda está em conversa”;

Iago Souza Santiago (Pranchana Jack) – É do Avante e diz que não vai disputar o pleito em outubro;

Joel Márcio Arruda – Era do PSD – Partido Social Democrata, afirmou que ainda está estudando todas as propostas e escolher o partido com que mais se identifique.

Lacimar Cezário da Silva (O Três) – Era do PSL – Partido Social Liberal e passa para o Partido Social Democrático;

Lucimar Nunes Nogueira (Lucinho de Santanense) – Era do PSB – Partido Socialista Brasileiro, está estudando para qual partido vai e afirmou ao jornal que tem a possibilidade de ser um “pré-candidato a vice-prefeito de uma pessoa nova na política”;

Márcia Cristina Silva Santos (Márcia Dr. Ovídio) – Era do PP – Partido Progressista, ainda não definiu, está em conversa e segundo ela, está “avaliando uma possível pré-candidatura a prefeita ou vice”.

Otacília de Cássia Barbosa Parreiras – Era do PV – Partido Verde e segundo ela não será candidata a vereadora, concorrerá o pleito como “pré-candidata ao Executivo”, ainda está avaliando o partido;

Márcio Gonçalves Pinto- (Hakuna) – É do PSL – Partido Social Liberal, é segundo suplente para deputado e está satisfeito com o partido, em conversa com o vereador, o Jornal confirmou que ele pretende disputar as eleições ao Executivo;

Silvano Gomes Pinheiro – (Silvano do Córrego do Soldado) Era do PHS – Partido Humanista da Solidariedade – Com a incorporação ao PODEMOS, está avaliando outro partido;

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui