Poucas lojas fazem medição de temperatura em Itaúna

0
276

Em Itaúna, três lojas já aderiram ao uso dos medidores de temperatura digital na entrada de seus estabelecimentos. Devido aos riscos de contaminação pela COVID-19, o recurso é parte de um protocolo de segurança recomendado pelas autoridades de saúde do Estado. Todas as três lojas estão localizadas no centro, onde há maior circulação de pessoas e, consequentemente, de clientes. Pensando na segurança dos funcionários e consumidores, os comerciantes estão garantindo que, antes de permitirem que os clientes passem pela entrada do estabelecimento, submetam- -se à medição corporal de temperatura.

Ao Jornal S’Passo, os gerentes das três lojas relataram como está sendo a experiência com os novos equipamentos e os funcionários afirmaram que se adaptaram rapidamente à norma e operam o termômetro com facilidade. “O equipamento é digital, então, é bastante intuitivo”, explica uma das gerentes. O termômetro detecta raios infravermelhos, indicando, apenas por um laser, a temperatura do cidadão. Dessa forma, os comerciantes podem identificar quem está com a temperatura corporal elevada, o que pode indicar infecção pela COVID-19. Assim, o consumidor que estiver próximo dos 38°C será alertado e, conforme a postura do funcionário do estabelecimento, instruído a não entrar no local.

O equipamento já deu condições para os funcionários de uma das lojas detectarem clientes que estavam febris. É o que conta o gerente de um dos estabelecimentos: “Tivemos três casos, dois idosos com 37,6 e 37,8 graus e um jovem com 38 graus. Eles foram orientados a não entrarem na loja e apesar de ser uma norma de segurança, eles ficaram contrariados com a determinação”. Outra funcionária conta que, mesmo detectando uma pessoa com a temperatura elevada, não pôde retirar o cliente do estabelecimento. “É o direito do consumidor de ir e vir, não podemos barrá-lo”, afirma a comerciária. Nessa situação, o cidadão que, sabe que está com a temperatura elevada e do possível risco de contaminação pela COVID-19, insistir em entrar no estabelecimento, está colocando em risco a vida de mais pessoas.

Obrigatoriedade

De acordo com o secretário de Saúde, Fernando Meira, a aferição de temperatura não é obrigatória em Itaúna, mas o assunto será discutido junto ao Comitê de Enfrentamento à Covid-19. “O decreto municipal não impõe esta obrigação de aferição de temperatura. Em muitas cidades isso já é uma realidade e, com certeza colocaremos em pauta para ser discutido com o Comitê de Enfrentamento a doença e, principalmente, com a Câmara de Dirigentes Lojistas. Se for considerada uma boa iniciativa, faremos uma campanha de conscientização, mesmo que a medida não seja obrigatória”, pontua.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui