Alunos fazem abaixo-assinado após demissão de professora

0
205

Desligamento ocorreu depois que mãe de aluno invadiu aula on-line do filho

Na última quarta-feira (4), ex-alunos da professora Graciele Fonseca organizaram um abaixo-assinado pedindo justiça. Segundo informações, a escola SESI Itaúna anunciou a demissão da educadora no dia anterior, depois que a mãe de um aluno invadiu a sala de aula on-line por não concordar com o conteúdo da aula de história e desrespeitou Graciele.

Relatos de pais e responsáveis afirmam que a professora tratava da necessidade de vacinação, dos riscos do obscurantismo e de movimentos anticiência durante aula na turma do 9º ano do ensino fundamental. A mãe de um dos alunos entrou na sessão, de forma não autorizada, e tentou refutar o conteúdo lecionado por Graciele, chegando a desrespeitá-la na frente dos estudantes.

Uma semana depois, a educadora recebeu a informação que estava demitida da instituição de ensino. Quando os alunos souberam do acontecimento, se mobilizaram, com indignação, para pedir justiça. O abaixo-assinado foi criado, em dois dias, reuniu mais de mil assinaturas, ultrapassando a meta inicial estabelecida. A petição possui ainda mais de 115 comentários que ressaltam elogios à professora. “A Professora Graciele é muito querida por todos os alunos e é como uma mãe para nós!”, ressaltou Sara Pereira, criadora do abaixo-assinado. “A Gra é uma professora incrível, nos inspira cada vez mais e nos faz querer sempre buscar mais conhecimento”, disse o estudante Bernardo Melo.

A professora preferiu não comentar o caso, já que ainda cultiva respeito aos colegas que trabalham na escola. Ela afirmou que, apesar dos problemas, está muito contente com o apoio recebido. “Estou me sentindo muito acolhida e abraçada pelos alunos, ex-alunos que já são adultos, amigos e até pessoas de outras cidades, que se solidarizaram com a situação. Fui surpreendida com a proporção do carinho dos meus alunos. Sempre tive uma relação muito boa com eles, mas descobri o tamanho verdadeiro só depois disso”, declarou.

Em nota, o SESI Itaúna se manifestou com poucas informações e não confirmou que a demissão foi feita a pedido da mãe do aluno. “O Serviço Social da Indústria (SESI) de Minas Gerais decidiu, no dia 3 de novembro, pelo desligamento da profissional Graciele Lúcia Fonseca, embasado em critérios próprios da empresa”, pontuou a instituição.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui