Presidente da Câmara responsabiliza comércio pelo aumento da Covid

0
762

O crescente número de notificados confirmados de Covid-19 em Itaúna, que ultrapassou já no início da semana a marca de dois mil casos, parece que finalmente está causando preocupação nas pessoas e modificando a postura de alguns. A iminência de uma segunda onda da doença pode ser a responsável para que haja mudança de comportamento e que sejam retomados os cuidados que se tinha quando do início da pandemia, especialmente com relação ao uso de máscaras e o alerta para as aglomerações em festas e no comércio. Nas redes sociais, inúmeras postagens intensificaram denúncias de relaxamento e da falta de fiscalização por parte do poder público nos ambientes de convivência, especialmente em bares e restaurantes.

Na Câmara Municipal terça-feira passada (1) o presidente Alexandre Campos (DEM) usou a tribuna para falar do assunto. Ele apontou o dedo para a Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL e uma certa associação de bares e restaurantes. Essas entidades, há poucos meses, solicitaram que os vereadores interviessem no sentido de acelerar a reabertura do comércio. Agora, eles mesmos estão em campanha para conscientizar a população sobre os cuidados com o coronavírus e a utilização dos recursos de proteção. Campos observou que as entidades representantes do comércio têm que fazer uma autoanálise para verificar que alguns setores são os principais responsáveis pelo aumento de casos da doença em nossa cidade.

Para o vereador, os comerciantes relaxaram com relação ao uso de máscara e do álcool em gel e, parece, não estão tomando o cuidado necessário ante o excesso de pessoas no interior das lojas. A continuar assim, o comércio novamente terá que fechar suas portas e a cidade contará apenas os serviços essenciais, alertou o presidente da Câmara. Fez coro com o dirigente do legislativo o vereador Márcio Gonçalves, o Hakuna (PSL), mas ele destacou que o poder público tem que ampliar a fiscalização de bares, restaurantes e outros comércios em Itaúna. Hakuna colocou em dúvida o serviço da Prefeitura no combate à Covid19 e disse que tem informações de que os fiscais não estão recebendo horas extras e, por isso, não cumprem as funções de forma adequada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui