Grandes empresas mantêm protocolos de segurança e dão exemplo na luta contra Covid

0
629
DCIM100MEDIADJI_0060.JPG

Dados mostram que não foram registrados casos graves ou contaminações entre os trabalhadores

Uma semana depois do presidente da Câmara Municipal Alexandre Campos (DEM) ter afirmado que a responsabilidade pelo crescimento da Covid-19 em Itaúna é dos comerciantes, dos setores de bares e restaurantes, o prefeito Neider Moreira (PSD) informou ao Jornal S’Passo que iria publicar um decreto com novas regras para o funcionamento desses estabelecimentos. Campos acusou os proprietários de bares, lanchonetes e restaurantes de relaxarem e abandonaram o protocolo de segurança, que estabelece número reduzido de frequentadores, exige o distanciamento entre mesas e o uso de máscaras para os atendentes e para quem circula nos espaços do ambiente, entre outras medidas. Já o chefe do executivo falou que é preciso “colocar um freio” naqueles que insistem em desobedecer as orientações de segurança, ante os avanços do novo coronavírus.

Além da negligência de alguns profissionais de bares e restaurantes e de seus frequentadores, as redes sociais têm mostrado que as aglomerações voltaram com força total em festas particulares, passeios em cachoeiras e praças públicas. As máscaras, que antes eram exigência por todos os lugares, estão caindo em desuso para muitas pessoas. A fiscalização é precária e serve para encorajar os que não querem colocar máscaras ou não estão mais querendo utilizá-las em público.

Os protocolos de segurança contra a Covid-19 foram estabelecidos pelos órgãos de vigilância sanitária tão logo os primeiros casos da doença vieram a público e se vislumbrou uma epidemia (que se tornou pandemia), no início desse ano. Se muitos espaços de convivência de pessoas estão se descuidando mesmo diante das informações do crescimento da Covid, outros seguem as recomendações dos profissionais de saúde e obedecem às normas. É o caso de algumas grandes empresas itaunenses. O Jornal S’Passo procurou saber junto aos setores de Comunicação e de Recursos Humanos das indústrias Companhia Tecidos Santanense, Intercast, Belgo Mineira Beckaert e Saint Gobain como estão sendo os procedimentos dessas empresas ante a doença e a rotina de trabalho delas.

Normas de segurança são revistas com frequência

No RH da centenária Cia. Santanense, Janaína Leão nos informou que a empresa orienta os funcionários de todos os setores a seguirem os protocolos de segurança estabelecidos pela Secretaria Municipal de Saúde. Contou ainda que o departamento médico da Santanense está atento a qualquer procedimento novo e aos casos de possíveis contaminações de funcionários.

A jornalista Nina Vasconcelos, responsável pela imagem da indústria metalúrgica Intercast junto ao público, relatou que as regras e as normas de combate ao novo coronavírus são aplicadas em todos os setores da unidade desde o início da pandemia, em meados do mês de março. E que estes são renovados de acordo com a evolução da doença. Os protocolos indicam a obrigatoriedade do uso de máscara dentro da empresa, do álcool em gel e de outras medidas de higienização pessoal. A partir do crescimento dos casos na cidade foi implantada a aferição de temperatura dos funcionários, com monitoramento frequente. São aplicados constantemente medidas de assepsia e desinfecção dos ambientes de convivência, distribuição de material informativo para os funcionários e seus familiares, além da recomendação do distanciamento. A jornalista contou ainda que são distribuídas máscaras para os servidores da empresa e que os lanches no refeitório são servidos embalados individualmente. As recomendações também alcançam o público externo que tem contato com a empresa, como os motoristas de caminhões de clientes e fornecedores e que há um rigor para restringir visitas durante a pandemia. Os veículos de transporte dos funcionários também passam por rotinas de limpeza e desinfecção. A Intercast tem hoje cerca de 400 funcionários diretos.

As redes sociais como aliadas

Também está cumprindo com os protocolos de segurança implantados no início da pandemia e sendo cobrados com muita frequência a indústria Saint Gobain Canalização, multinacional do grupo francês. As informações foram transmitidas ao Jornal S’Passo por Daniela Rezende, do setor de Recursos Humanos. Ela ressalta que são aplicadas todas as medidas de segurança individual e coletiva, como o uso de máscara, de álcool em gel, higienização das mãos e distanciamento nos ambientes de convivência. A Saint Gobain utiliza das redes sociais e de comunicação direta com os 266 funcionários, bem como com os indiretos que têm ligação com a empresa, para demarcar as orientações necessárias sobre os casos e avanço da Covid-19 na cidade.

Na Belgo Mineira Bekaert, a reportagem do S’Passo conversou, por whatsapp, com Cláudia Timóteo que afirmou que a empresa está atenta ao problema da pandemia. “A empresa tem protocolos muito rígidos com o objetivo de preservar a saúde e segurança dos empregados”, disse.

De acordo com os entrevistados, não foram registrados casos graves ou contaminações de trabalhadores nas empresas citadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui