Na pauta de vacinação contra a Covid-19 Prefeitura imuniza profissionais de saúde e idosos

0
130

A Prefeitura de Itaúna está anunciando nova rodada de vacinação contra a Covid-19, iniciada na manhã desta quarta-feira (17), destinada aos profissionais da saúde e ao idosos com idade acima de 90 anos. As prioridades estabelecidas pelo município atendem aos critérios do Ministério da Saúde e dessa forma são considerados trabalhadores da saúde todos aqueles que atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde, sejam hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios e outros locais. Compreende tanto os profissionais da saúde (médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontólogos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais da educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares), quanto os trabalhadores de apoio (recepcionistas, seguranças, trabalhadores da limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias e outros). O atendimento de imunização inclui ainda profissionais que atuam em cuidados domiciliares (cuidadores de idosos, doulas/parteiras), bem como funcionários do sistema funerário que tenham contato com cadáveres potencialmente contaminados. As doses da vacina contra o coronavírus também serão ofertadas para acadêmicos em saúde e estudantes da área técnica em saúde em estágio hospitalar, atenção básica, clínicas e laboratórios.

A vacinação dos idosos está prevista para acontecer amanhã, quinta-feira, no horário de 8h às 11h ou enquanto durarem as 430 doses disponíveis. Será  realizada em frente à sede da nova Prefeitura, no Boulevard Lago Sul – (Drive Thru e vacinação sem veículo).

Prioridade de vacinação é motivo de intensas críticas nas redes sociais em todo o país

Em várias oportunidades nas redes sociais internautas vêm criticando os critérios de prioridades de vacinação adotados pelos municípios. Para esses, vacinar um jovem profissional da saúde – que não está atuando na função – em vez de idosos, que constituem o maior número de casos de óbitos no país, é um grande absurdo. Até  mesmo o famoso médico Drauzio Varella entrou na polêmica quando escreveu e publicou recentemente, no jornal “Folha de São Paulo” o artigo: A vacinação contra o coronavírus virou uma bagunça no Brasil. Em seu texto ele pontua que: “Não faltaria conhecimento a um programa com mais de 45 anos de idade, que foi capaz de eliminar a varíola e a poliomielite do país, de vacinar 18 milhões de crianças contra a poliomielite num só dia, 100 milhões de pessoas contra a H1N1 em três meses, em 2010, e 80 milhões contra a influenza, em 2020”. A falta de uma coordenação das autoridades que deveriam cuidar dos planos de imunização com regras válidas para todo o país é para o médico a razão dessa confusão de grupos e de pessoas “que subvertem a ordem prioritária e confundem a população, incapaz de entender porque em cada cidade a vacinação chega para uns e não para outros”. Varella faz um questionamento que muitas outras pessoas também estão fazendo nas cidades onde estão acontecendo essas rodadas de vacinação: “Tem cabimento vacinar veterinários, terapeutas, personal trainers, escriturários de hospitais, antes dos mais velhos, que representam mais de 70% dos mortos? É justo proteger essa gente antes dos professores, dos policiais e de outras categorias mais expostas ao vírus?”.

As críticas estão por todo lado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui